F1
24/02/2018 08:55

Renault ‘esconde o jogo’ e revela que ainda não lançou carro de 2018: “Só fizemos a apresentação do layout”

Cyril Abiteboul até ironizou os analistas que procuraram novos detalhes do R.S.18 mostrado na última terça-feira. Na verdade, trata-se apenas da pintura do carro de 2018 e não propriamente do modelo com o qual Carlos Sainz e Nico Hülkenberg vão disputar a temporada
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 O R.S.18 (Foto: Renault)

A Renault apresentou ao mundo o novo carro com o qual vai disputar a temporada 2018 do Mundial de F1, certo? Na verdade, não foi bem assim. A escuderia de Enstone, disposta a voltar ao grupo das cinco melhores equipes do grid, escondeu o jogo e mostrou apenas o layout dos novos R.S.18 de Nico Hülkenberg e Carlos Sainz. Quem revela é o diretor-geral da fábrica francesa, Cyril Abiteboul, que ainda ironizou os analistas que procuraram detalhes do carro apresentado na última terça-feira para comparar com o carro do ano passado.
 
Como mais uma amostra de que a Renault está escondendo o jogo, a equipe realiza neste sábado (24) um dia de filmagem com o novo carro no circuito de Barcelona, palco dos testes de pré-temporada que vão começar na próxima segunda-feira. Mas a única imagem disponível veiculada pela equipe no Twitter mostra muito pouco do novo R.S.18.


 
“Para ser claros, o carro que nós mostramos de forma digital foi somente a apresentação do layout. Nós vimos nos fóruns pessoas tratando de explorar coisas dele. Calma, caras, não tentem calcular a distância entre eixos porque não vai ser em nada representativa”, declarou o engenheiro francês em entrevista veiculada pelo site norte-americano ‘Motorsport.com’ durante evento da Renault em Paris.
 
“Como a maioria das equipes, vamos desenvolvê-lo até o último momento para que o carro do primeiro e segundo testes não seja tão representativo, uma vez que em Melbourne vão chegar mais coisas”, complementou Abiteboul, avisando que a ideia é já desenvolver um pacote de atualizações visando a abertura da temporada, na Austrália.
 
“Também há muitas coisas debaixo da tampa. A suspensão, a caixa de câmbios, a instalação do motor, refrigeração. Tudo isso deu um grande salto na comparação com o ano passado, mas obviamente isso não é visível”, acrescentou o dirigente.
A Renault apresentou apenas o layout do novo R.S.18, mas o carro não é o que vai à pista em 2018 (Foto: Renault)
Sexta melhor colocada no Mundial de Construtores do ano passado, a Renault seguiu outras equipes e também já começou a focar seus esforços no novo R.S.18 ainda em 2017. Tudo em nome da confiabilidade, talvez o grande ‘calcanhar de Aquiles’ da Renault na última temporada. Um esforço que, na visão de Abiteboul, já valeu a pena.
 

“Começamos muito antes com o projeto do primeiro conceito do carro para 2018, e também começamos bastante cedo com o motor, muito mais que no ano passado. Tudo tinha de ser melhor e mais robusto em termos de confiabilidade, que foi o foco principal. Realmente, o objetivo era ter uma plataforma muito saudável desde a qual pudéssemos construir e extrair uma performance extra durante a temporada. Vai ser uma corrida para o desenvolvimento”, explicou.
 
“Cada vez que colocamos o carro no túnel de vento, encontramos mais ganhos e ainda há muito mais por vir. Então trata-se de garantir que tivéssemos tudo funcionando, particularmente a suspensão e o câmbio. Estávamos tão defasados que a margem de melhora é ampla, portanto ainda há muito esforço em cima disso e, obviamente, vão chegar mais melhorias”, finalizou Abiteboul.