F1

Renault minimiza resultado e se vê “tão ou mais rápida” que McLaren no GP da França

Cyril Abiteboul não acredita que o resultado final reflita bem o que foram as performances de McLaren e Renault no GP da França e espera um duelo intenso até o fim do campeonato

Grande Prêmio / Redação GP, de São Paulo
Enquanto a McLaren garante que não pensa na Renault, os franceses estão focados em destronar a equipe de Woking no confronto direto da 'F1 B'. Cyril Abiteboul, chefe do time dos carros aurinegros, garantiu que a Renault esteve tão ou mais rápida que a McLaren em Paul Ricard, por mais que os britânicos tenham saído com seis pontos a mais.
 
O francês explicou que o resultado não foi ruim, embora a Renault quisesse mais que os quatro pontos de Nico Hülkenberg, mas afirmou que o que complicou tudo foi a classificação, pois na corrida o carro era até mais veloz que o da McLaren, que teve Carlos Sainz tranquilo em sexto e Lando Norris em nono.
 
"Foi um resultado OK. Entramos nos pontos, mas estávamos mirando mais pontos do que isso. Nós entendemos que éramos tão ou mais rápidos que a McLaren na corrida, apenas ficamos presos e eles foram bem mais rápidos de classificação, que é basicamente o que vale mais na F1 atual. Nos stints com pneus mais duros a gente foi bem mais competitivo. Vamos focar nisso na Áustria porque estará muito quente e sabemos que a pista pode ser cruel com os pneus", disse ao site norte-americano 'Motorsport.com'.
Cyril Abiteboul não viu a Renault atrás da McLaren nem na França (Foto: Renault)
Abiteboul comentou que vê a Renault e a McLaren duelando até o fim, mas quer também que a fabricante receba os créditos pelo motor que empurra os carros laranjas.
 
"A McLaren é uma boa marca, nossa parceira e nossa cliente, então o sucesso deles também vem da nossa contribuição. É bom e positivo, mostra o potencial que temos. Não estamos muito atrás, fomos muito mais rápidos em Montreal, por exemplo. Espero uma batalha interessante com eles pelo resto da temporada. Numa F1 em que é tão difícil ultrapassar, precisamos classificar bem, vamos focar nisso", seguiu.
 
Cyril também garantiu que o que se viu em Paul Ricard não foi o pacote completo de atualizações e que algumas novas chegarão nas próximas provas.
 
"Precisamos investigar um pouco mais, algumas coisas das atualizações surtiram efeito, mas também não trouxemos tudo, algumas coisas atrasaram, precisam de um estudo maior e aí, sim, levaremos para a pista. O comportamento dos pneus macios confundiu bastante as análises do final de semana", completou.
 
Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.