Reserva na McLaren, Vandoorne crê que eventual retorno à F1 “seria estranho”

Fora do grid da Fórmula 1 desde 2018, Stoffel Vandoorne diz que está pronto para fazer um bom trabalho caso seja chamado por alguma equipe. O atual vice-campeão da Fórmula E tem a possibilidade de ser chamado por Mercedes, Racing point e McLaren caso aconteça alguma eventualidade com um dos pilotos titulares

Com o fim da temporada da Fórmula E, Stoffel Vandoorne agora está à disposição para “fazer um bom trabalho” como piloto reserva da Mercedes na Fórmula 1. O belga, no entanto, não pilota um carro da categoria desde 2018, quando saiu da McLaren.

Vice-campeonato da Fórmula E, Vandoorne está na espera e pode ser chamado por Mercedes, Racing Point e McLaren, caso seja necessário, para as últimas etapas da temporada da Fórmula 1 em 2020. O piloto estará presente em todas as provas até o fim do ano.

Com a pandemia do coronavírus, as equipes ligaram o sinal amarelo e estão atentas caso algum piloto teste positivo – como foi o caso de Sergio Pérez, da Racing Point, ausente nos GPs da Inglaterra e dos 70 Anos, substituído às pressas por Nico Hülkenberg. Por isso, ter um piloto reserva voltou a ganhar importância.

Apesar de estar fora da Fórmula 1 desde 2018 e ter testado no simulador da Mercedes apenas algumas vezes, o belga se vê preparado para fazer um bom trabalho caso seja chamado por alguma equipe do grid.

Stoffel Vandoorne está fora do grid da Fórmula 1 desde o fim de 2018 (Foto: McLaren)

“Na McLaren, conheço o pessoal, estive lá por alguns anos, então acho que não seria um problema. Não ando em um carro de Fórmula 1 há muito tempo. Seria um pouco estranho no começo, mas continuo ativo com o trabalho que faço no simulador da Mercedes e viajando para todas as corridas. Então estou bem confiante de que pelo menos sei o que fazer”, afirmou Vandoorne ao site Autosport.

“Estou pronto, na espera, e com certeza consigo fazer um grande trabalho”, seguiu.

O piloto de 28 anos, no entanto, espera que não seja chamado porque alguém foi infectado por Covid-19, como aconteceu com Pérez antes das etapas em Silverstone.

“Eu não desejo que ninguém fique doente. É uma posição estranha, você nunca imagina quando vai entrar, mas estou pronto se algo acontecer”, finalizou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube