Restrição por coronavírus já faz F1 pensar em cancelar corridas

Com as mudanças nas condições de visto para determinados países causadas pelo surto de coronavírus, a Fórmula 1 já pensa em cancelar qualquer etapa em que alguma equipe tenha dificuldades para levar seu pessoal ao redor do globo


 

Diversas categorias vêm cancelando etapas em razão do surto do novo coronavírus que se alastra pelo mundo. A Fórmula 1, por exemplo, já adiou o GP da China, enquanto a MotoGP não vai ao Catar com sua classe rainha no próximo final de semana. E mais descartes podem acontecer nos calendários.

É o que afirmou, nesta terça-feira (3), Ross Brawn, diretor da F1. Em entrevista à agência 'Reuters', o dirigente inglês disse que a categoria não vai viajar para países em que uma equipe tenha dificuldades de entrar com todos seus funcionários por causa das dificuldades impostas na emissão de vistos, diante das preocupações com o avanço da doença.

O comentário vem logo após o Vietnã, palco de etapa programada para o começo de abril, impor restrições a viagens de italianos residentes ou estrangeiros oriundos do país com mais casos de conhecidos na Europa. Para a F1, isso criaria dificuldades para Ferrari e AlphaTauri, por exemplo.

"Se uma equipe for proibida de entrar em um país, não podemos ter uma corrida. Não uma do Mundial de F1, porque não seria justo", afirmou Brawn. "Obviamente, se uma equipe optar por não correr por conta própria, é uma decisão dela. Mas se ela for proibida de ir até um GP por decisão do país, fica difícil termos uma competição justa", seguiu o britânico. 

Hanói espera receber a F1 em abril (Foto: GP do Vietnã)
De acordo com o site inglês 'Autosport', o diretor-esportivo pensa que uma das possibilidades, em vez de cancelamento, seria a realização da corrida, mas sem valer pontos para o Mundial.

"É uma situação muito séria, não quero menosprezá-la. Mas estamos tentando realizar as provas. Precisamos realizá-las de maneira responsável. Estamos diminuindo o número de pessoas no paddock, pedindo às equipes que levem o mínimo de pessoas, apenas o necessário para cada GP", finalizou.

Até o momento, o GP da Austrália segue confirmado para abrir a temporada, no próximo dia 15 de março.

Paddockast #50
GRANDES PROMESSAS QUE NÃO VINGARAM

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube