Ricciardo contraria discurso de Horner e questiona chance de sucesso da Red Bull como equipe-cliente na F1

O iminente fim da outrora parceria vitoriosa com a Renault faz com que a Red Bull não tenha outra alternativa que não seja assinar com a Ferrari para ser sua nova-velha fornecedora de motores depois da negativa da Mercedes. Contudo, Daniel Ricciardo não acredita que ser uma equipe-cliente levará os taurinos de volta ao topo da F1

A Renault, por meio do seu presidente Carlos Ghosn, deixou claro que encerrará o vínculo com a Red Bull ao fim desta temporada. Será o término de um casamento outrora vitorioso, que rendeu aos taurinos quatro títulos do Mundial de Construtores e outros quatro do Mundial de Pilotos, com Sebastian Vettel, durante os ‘anos dourados’ de 2010 a 2013. Neste tempo, a Red Bull funcionou como uma equipe oficial da Renault, uma vez que teve toda a prioridade em termos de trabalho da montadora de Viry-Châtillon.

O fim do casamento é iminente, e a Red Bull vem procurando alternativas. A única plausível, principalmente depois da negativa da Mercedes, é que a Ferrari seja sua nova fornecedora de motor. Christian Horner não vê problemas e acredita que a escuderia de Milton Keynes pode voltar a triunfar na F1 mesmo sendo uma equipe-cliente. Mas Daniel Ricciardo não concorda com o chefe da Red Bull.

Daniel Ricciardo questiona se a Red Bull voltará a vencer como equipe-cliente e sem contar com a Renault (Foto: AP)

“Qualquer situação neste momento não é a perfeita. Agora estamos com uma potência limitada, mas se tivéssemos de ir com um motor cliente, vamos vencer? Realmente existe a chance de vencer nos próximos anos? Essa é a grande pergunta”, questionou o piloto australiano durante entrevista à revista ‘F1 Racing’.

Entretanto, mesmo reconhecendo que tal cenário não é o ideal, Ricciardo reforçou a confiança no trabalho da Red Bull. “Falando com os que mandam na equipe, eles têm me dado confiança, e tenho de entender que eles estão fazendo o que é possível. Estou colocando muito da minha confiança na equipe.”

“E faço isso porque sei que eles querem voltar a ter o sucesso que já alcançaram. Quando dizem que estão fazendo tudo o que é possível para ser o mais competitivo possível em 2016, isso é tudo o que preciso saber por enquanto”, complementou Daniel, que teve como melhor resultado nesta temporada o terceiro lugar conquistado no GP da Hungria, antes das férias da F1 em agosto.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube