carregando
F1

Ricciardo fala em “desenvolver química” com Ocon: ‘Vamos pressionar um ao outro”

Daniel Ricciardo vai ter seu terceiro companheiro de equipe em três anos na F1. Esteban Ocon chegou à Renault em 2020 para substituir Nico Hülkenberg e trouxe sangue novo, depois de ficar um ano fora do grid. O australiano crê que a presença do jovem francês será benéfica para a equipe crescer como um todo nesta nova temporada

Grande Prêmio / Redação GP, de Sumaré
A temporada 2020 marca uma mudança muito importante na Renault. Depois de três anos, Nico Hülkenberg deixou o time de Enstone para dar lugar ao jovem Esteban Ocon, que ficou fora do grid da F1 no campeonato passado e volta com a motivação em alta após se dedicar ao posto de reserva e piloto de testes da Mercedes em 2019. A juventude do francês de 23 anos é vista por Ricciardo, de 30, como um grande impulso para a Renault dar o esperado salto de qualidade no Mundial.
 
“Estou ansioso para trabalhar com Esteban. É sempre empolgante vir para uma temporada com um novo companheiro de equipe. É uma chance de trabalhar com um novo piloto e desenvolver essa química juntos e, por fim, pressionar um ao outro para ser o melhor que pudermos ser”, declarou.
 
Ocon tem um histórico de conflitos nas duas equipes em que correu, na já extinta Manor, em 2016 — quando travou polêmicas nos bastidores com Pascal Wehrlein —, e entre 2017 e 2018, quando foi protagonista de um clima bélico na Force India em razão dos acidentes em que se envolveu e foi envolvido por Sergio Pérez. Mas Ricciardo entende que o francês foi uma boa aquisição pela sua capacidade e traz o sangue novo que a Renault precisa.
Daniel Ricciardo e Esteban Ocon formam a dupla da Renault para 2020 (Foto: Renault)
“Acho que Esteban vai trazer uma dinâmica positiva. Ele é jovem e tem muita vontade. Ele ficou fora por uma temporada na F1, então eu acho que ele vai querer muito mostrar um bom trabalho”, salientou Daniel.
 
Ricciardo traz uma perspectiva de um 2020 mais positivo por já conhecer o modus operandi da Renault e por estar, consequentemente, mais adaptado à equipe.
 
“Tenho alguns objetivos pessoais, mas, no fim das contas, quero fechar os finais de semana de corrida com o sentimento de ter concluído a missão e ter dado absolutamente tudo. Vai ser importante entregar toda a minha atenção e meu talento. Não tomei o caminho mais fácil”, admitiu o australiano.
 
“Estou ansioso para me integrar melhor à equipe e ter uma temporada já concluída — para que as coisas sejam mais fáceis nesse sentido. Quando estiver no carro durante os testes de pré-temporada, em Barcelona, imagino que as coisas vão correr bem”, salientou. O R.S.20 só vai ser mesmo conhecido do público, uma vez que somente imagens renderizadas foram divulgadas à imprensa nesta quarta-feira.
 
“Já conheço meu engenheiro, quais são as metas, no que trabalhar e quais as características gerais do carro. Tudo isso significa que posso entregar um feedback mais imediato e, portanto, vai ser mais fácil fazer essas comparações entre o R.S.19 e o R.S.20”, finalizou Ricciardo.

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.