Ricciardo se conforma com quarto lugar em casa, mas ressalta volta mais rápida e aponta: “Estamos muito perto da Ferrari”

Depois de lamentar a controversa punição no grid de largada na sexta e no sábado, o domingo de Daniel Ricciardo terminou com o habitual sorriso. O australiano conseguiu se recuperar bem depois de ter largado em oitavo e cruzou a linha de chegada em quarto, menos de 1s do terceiro colocado, Kimi Räikkönen. Foi o bastante para enchê-lo de esperança para a sequência da temporada

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “2258117790”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 600;

Daniel Ricciardo não conseguiu chegar ao primeiro pódio dele em casa na carreira, no GP da Austrália deste domingo (25). O que não quer dizer que tenha sido uma corrida ruim, bem longe disso. Punido para a largada, partiu apenas da oitava colocação e foi subindo devagar até chegar à briga pelo pódio. Terminou numa honrosa quarta colocação.
 
Ricciardo começou passando Carlos Sainz Jr. na largada e tirou Nico Hülkenberg da frente algumas voltas depois. A posição do companheiro, Max Verstappen, foi ganha quando o holandês errou repentinamente, rodou e caiu. Ricciardo foi se aproximando rapidamente das duas Haas e já falava em atacar quando primeiro Kevin Magnussen e em seguida Romain Grosjean tiveram problemas e abandonaram. 
 
A partir daí, o australiano foi ganhando ritmo em relação aos rivais. Marcou volta mais rápida e se aproximou perigosamente de Kimi Räikkönen e de Lewis Hamilton, que sofria com desgaste de pneus. Cruzou a bandeira quadriculada quase grudado em ambos. 
Daniel Ricciardo encerrou sua corrida em casa satisfeito com o ritmo de corrida da Red Bull (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Se o pódio não veio por pouco, Ricciardo tem seus motivos para comemorar. Primeiro, por ter feito a melhor volta da corrida, a décima da carreira. O australiano cravou 1min25s945 em sua melhor passagem e foi 0s428 mais veloz que o segundo colocado na lista, Räikkönen. A performance global da Red Bull no fim de semana deixou o piloto sorridente e bem otimista com a sequência da temporada.
 
Em entrevista à emissora britânica Sky Sports, Ricciardo falou também sobre a luta direta com Räikkönen nas voltas finais. Mas reconheceu que ultrapassar era praticamente impossível.
 
“Obviamente tentei fazer tudo o que pude com Kimi. É uma pista estreita, difícil de ultrapassar, mas conseguimos a volta mais rápida e isso é muito bom para as coisas que estão por vir nas próximas semanas”, salientou.
 
“Acho que estamos muito perto do ritmo da Ferrari. Tivemos a volta mais rápida, então definitivamente fomos um dos carros mais rápidos da pista”, destacou Daniel, que agora espera por ainda mais evolução para lutar pra valer com Räikkönen e Sebastian Vettel. O australiano pontuou que o RB14 precisa melhorar em classificações, uma vez que em corrida o ritmo é bastante forte.
 
“Espero esse avanço representativo, acho que ainda temos de buscar ritmo em volta lançada, mas o ritmo de corrida é bom”, concluiu o dono do carro #3.

A F1 volta em duas semanas, 8 de abril, com o GP do Bahrein no circuito de Sakhir. Um ano atrás, em 2017, foi Sebastian Vettel quem venceu a prova após largar atrás das duas Mercedes. O GRANDE PRÊMIO acompanha todas as atividades AO VIVO e EM TEMPO REAL.

"RECOMEÇA A BRIGA"

MERCEDES COMEÇA TEMPORADA AINDA À FRENTE DA FERRARI

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube