Rosberg admite ritmo de classificação fraco antes da sequência de poles. E não tem ideia do que mudou

Nico Rosberg melhorou muito seu ritmo de classificação nesta parte final da temporada 2105, mas a evolução veio tarde demais. E nem ele mesmo soube explicar como passou a andar mais rápido que Lewis Hamilton, dono de 11 poles no ano

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Depois de viver uma primeira parte de temporada apagada e longe da combatividade que apresentou em 2014, Nico Rosberg reagiu na parte final do campeonato, mas a resposta na disputa pelo título veio tarde demais. Com dez vitórias e 11 poles, o companheiro de Mercedes foi capaz de garantir o tricampeonato com quatro provas de antecedência, deixando Rosberg na luta apenas pelo vice-campeonato. Só que, no meio desse caminho, o alemão descobriu o que realmente pesou na briga com o inglês.

 
Falando aos jornalistas neste sábado (14) em Interlagos, depois de ter cravado a quinta pole-position seguida da temporada, o filho de Keke revelou que o fraco ritmo de classificação foi o seu ponto de maior fraqueza na comparação com o colega de garagem. Uma vez encontrado o problema, Nico foi atrás da solução, quis entender a razão de não conseguir bater o companheiro na decisão do grid. Porém, apesar do esforço, nem Rosberg consegue compreender como melhorou tanto nas últimas etapas do Mundial.
Nico Rosberg garantiu mais uma pole (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
“Eu não tenho uma explicação para isso”, disse o piloto de 30 anos ao ser questionado o motivo para a mudança de performance no sábado. “O que eu estou fazendo é trabalhando muito em cima disso. E se agora estou mais rápido nos treinos, então é ótimo. Parece que todo o meu esforço tem valido a pena”, completou.

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

“Era realmente um ponto fraco [desempenho nos treinos classificatórios] e definitivamente é a razão pela qual Lewis venceu o campeonato neste ano. É claro que estou feliz com essa melhora. Mas é difícil de falar, porque no ano passado eu era o cara mais rápido na classificação e neste ano eu fiquei totalmente fora. Quer dizer, alguma coisa mudou aí…”, acrescentou Rosberg, que larga na frente desde o GP do Japão, realizado ainda em outubro.

 
“Então, é uma questão de trabalhar duro e tentar entender o que está acontecendo.”
 
O alemão perdeu a chance de brigar pelo título contra Hamilton no GP dos EUA, onde o britânico venceu, depois de uma prova agitada e marcada por um duelo entre ambos, que acabou culminando com um erro de Nico. Mas, apesar da frustração, o piloto insiste que não tem arrependimentos em 2015.
 
“Não me arrependo de nada neste ano. No esporte, sempre há altos e baixos. É assim mesmo, porque as coisas mudam a todo o momento. O carro também vai evoluindo e você precisa se adaptar a tudo. E às vezes você vai deparar com frustrações”, encerrou.

O GRANDE PRÊMIO acompanha o GP do Brasil com grande cobertura 'in loco' com Flavio Gomes, Evelyn Guimarães, Fernando Silva e Rodrigo Berton. Acompanhe aqui.

(function(d, s, id) { var js, fjs = d.getElementsByTagName(s)[0]; if (d.getElementById(id)) return; js = d.createElement(s); js.id = id; js.src = “//connect.facebook.net/pt_BR/sdk.js#xfbml=1&version=v2.3”; fjs.parentNode.insertBefore(js, fjs);}(document, ‘script’, ‘facebook-jssdk’));

Quer ganhar um super kit do GRANDE PRÊMIO no GP do Brasil de F1? Então participe do 'Traz mais um no GP'.É simples:…

Posted by Grande Prêmio on Quinta, 12 de novembro de 2015

PADDOCK GP COM FELIPE MASSA: ASSISTA JÁ

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “8352893793”;
google_ad_width = 300;
google_ad_height = 250;

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube