Rosberg admite vantagem “muito grande” de Hamilton, mas adota discurso óbvio: “Definitivamente, ainda não acabou”

Dono do melhor carro da F1, Nico Rosberg não quer dar ao seu maior rival na luta pelo título o gostinho pelo sucesso antecipado. Por isso mesmo, pelo menos publicamente, evita jogar a toalha e ainda se afirma como real candidato na briga pelo campeonato. Mas sabe que a vantagem de 48 pontos que o separa de Lewis Hamilton é enorme

Faltando cinco provas para o desfecho da temporada 2015 do Mundial de F1, Nico Rosberg traz o óbvio discurso de que ainda está no páreo na briga pelo título. Contudo, a realidade do alemão é duríssima. Mesmo contando com o melhor carro da F1, o Mercedes W06 Hybrid, o piloto somou 229 pontos, tendo vencido três vezes no ano. Mas Lewis Hamilton está 48 pontos à frente depois de vencer oito das 14 corridas já disputadas. É certo que Rosberg não quer dar ao seu maior adversário o gostinho pelo sucesso de forma antecipada, por isso evita jogar a toalha nesta altura do campeonato.

“Depois que voltei do Japão, consegui focar nos elementos positivos do meu fim de semana em Suzuka: pole-position, a ultrapassagem na pista em Valtteri Bottas e, em seguida, a velocidade capaz de minar a Ferrari de Sebastian Vettel no segundo pit-stop”, declarou Nico, segundo colocado em Suzuka, há duas semanas.

Rosberg evitou jogar publicamente a toalha, mas reconhece vantagem muito grande de Hamilton (Foto: AP)

“Não vou recuar da minha luta pelo título. Temos cinco corridas pela frente e, embora a diferença para Lewis seja muito grande, na minha mente isso definitivamente ainda não acabou”, afirmou o alemão em prévia do GP da Rússia divulgada pela Mercedes nesta segunda-feira (5).

O vice-campeão do mundo não mediu palavras para elogiar o trabalho da Mercedes e reiterou o desejo de retribuir da melhor forma. “A maneira como toda a equipe vem se desempenhando neste ano, desde as fábricas até a garagem, tem sido simplesmente incrível, e tenho o carro que preciso para voltar ao degrau mais alto.”

Em 2014, no primeiro GP da Rússia da história, Rosberg largou em segundo, cometeu um erro caiu para penúltimo na segunda volta, mas empreendeu grande reação para terminar só atrás de Hamilton. Seu objetivo para o próximo fim de semana em Sochi é faturar outro bom resultado e, se possível, a tão almejada vitória que o deixaria mais próxima de Lewis no campeonato.

“Gostei muito da nossa primeira viagem à Rússia no ano passado e foi um fim de semana incrível para toda a equipe. Sempre me lembro do trabalho tudo que todos fizeram durante meu tempo aqui. Então, vou com o objetivo de juntar todas as ferramentas que eles me deram para trazer um bom resultado para casa”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube