Roteiro de Spielberg começa com Rosberg à frente, drama de Alonso e quase-atropelamento de chefe da Ferrari

Nico Rosberg marcou o melhor tempo do primeiro treino livre da F1 para o GP da Áustria, superando Lewis Hamilton por 0s3. A sessão ainda viu Fernando Alonso e Sebastian Vettel com problemas mecânicos e a cômica cena do quase-atropelamento de Maurizio Arrivabene por Felipe Massa dentro dos boxes. Felipe Nasr foi quinto

A F1 está em Spielberg, na Áustria, e abriu os trabalhos na manhã desta sexta-feira (19) com um roteiro diversificado: a trama principal pode até ter sido batida, mas coadjuvantes de luxo chamaram a atenção.

Os personagens principais foram, mais uma vez, os pilotos da Mercedes, e Nico Rosberg foi quem marcou o melhor tempo do primeiro treino livre. Ainda na primeira metade da sessão, o alemão anotou 1min10s401, que acabou sendo o bastante para lhe dar a primeira posição com 0s308 de vantagem para Lewis Hamilton.

Um bom começo de GP da Áustria para o vencedor da edição de 2014 da prova.

Nico Rosberg apareceu todo arrumadinho nesta quinta no Red Bull Ring (Foto: Red Bull/GEPA/ Harald Steiner)

Mas também tiveram destaque Fernando Alonso e a McLaren Honda, com problemas mecânicos uma vez mais complicando o desenvolvimento do MP4-30; a Ferrari de Sebastian Vettel, que deixou o alemão na mão pela segunda vez em duas semanas; e o chefe da Ferrari, pela distração de atravessar os boxes sem perceber que Felipe Massa estava de passagem por ali.

Felipe Nasr também surpreendeu nos derradeiros instantes ao marcar o quinto tempo, andando no mesmo ritmo dos carros da Red Bull e da Toro Rosso, as 'anfitriãs' do fim de semana.

As atividades de pista da F1 no Red Bull Ring continuam às 9h (de Brasília) desta sexta.

Confira como foi o primeiro treino livre da F1 na Áustria:

Distância
4,326 km
Curvas
9
Número de voltas
71
Vencedor em 2014
Nico Rosberg
(Mercedes)

Programação

SEX, 19/6 | TL2 – 9h
SAB, 20/6 | TL3 – 6h
SAB, 20/6 | TC – 9h
DOM, 21/6 | GP – 9h

Não foi com temperaturas muito elevadas que a Áustria recebeu a F1 na manhã desta sexta-feira, muito embora o verão europeu se aproxime. Os termômetros marcavam apenas 16ºC de temperatura ambiente, e 26ºC no asfalto.

Mas como há quem prefira o frio, dá para dizer que a primeira impressão foi ruim, mesmo, para Fernando Alonso: com o quinto motor Honda do ano e uma série de atualizações na McLaren, para serem avaliadas ao longo do fim de semana e nos testes de terça e quarta-feira também, ele teve problemas nos sistemas do carro com menos de dez minutos de sessão. Antes da penúltima curva, o espanhol desligou o carro e aproveitou a descida para voltar aos boxes 'na banguela'. Conseguiu voltar para casa, ao menos.

Ferrari de Vettel é rebocada para os boxes após ter problema no TL1 na Áustria (Foto: AP)

Ser um campeão mundial com problemas precoces não foi, no entanto, um privilégio de Alonso. A Ferrari de Sebastian Vettel também apagou, na segunda falha de confiabilidade da SF15-T em duas semanas. Desta vez, foi o câmbio. O alemão parou após a curva 1, em um local que favoreceu um resgate rápido do carro. De todo modo, não houve tempo hábil para os mecânicos o mandarem à pista outra vez no TL1.

Calma, ainda não é agora que os tempos de volta se tornam os acontecimentos mais importantes do treino: houve também o quase-atropelamento de Maurizio Arrivabene nos boxes. Sorte dele que Felipe Massa o viu atravessando distraído o pit-lane e parou sua Williams a tempo.

determinarTipoPlayer(“15511533”, “2”, “0”);

Arrivabene leva susto e quase é atropelado por Massa (Foto: Reprodução TV)

Agora, sim, ao cronômetro. Os primeiros tempos de volta começaram altos, na casa de 1min16s, mas despencaram rapidamente e já revelando um ritmo animador. Para um primeiro treino livre, com os pilotos ainda usando os pneus mais duros do fim de semana, ver Nico Rosberg já fazendo 1min10s401 com meia hora de treino impressionou. Em 2014, a pole de Massa foi com 1min08s759.

O alemão tinha, a essa altura, mais de 1s de vantagem para o segundo colocado, Lewis Hamilton com a Mercedes. Kimi Räikkönen completava o top-3.

Felipe Nasr é que aparecia bem, na quinta colocação. O brasileiro chegou a reportar uma perda de potência do motor Ferrari de sua Sauber, mas a pane foi temporária. O time suíço, diga-se, segue usando a primeira versão do motor Ferrari, só recebendo as atualizações no GP da Bélgica, no fim de agosto.

Em geral, a sessão seguia sem muita agitação em Spielberg. Alguns erros de pilotos é que chamaram a atenção, comprovando como é traiçoeiro o traçado do Red Bull Ring. Max Verstappen, Pastor Maldonado, Sergio Pérez e até mesmo Rosberg se complicaram nas duas últimas curvas. Daniil Kvyat e Jenson Button travaram rodas com gosto, estragando seus jogos de pneus.

Verstappen, contudo, achava o caminho em meio a uma ou outra dificuldade: após uma hora de trabalhos, ele era o quarto colocado, apenas 0s2 atrás de Kimi. Carlos Sainz aparecia em sexto com a outra Toro Rosso. Em quinto e sétimo, destaque para Sergio Pérez e Nico Hülkenberg. Ainda assim, mais tarde o holandês reclamaria de um carro "inguiável" na curva 8.

Red Bull Ring é a pista que recebe a oitava etapa da F1 neste fim de semana (Foto: Reprodução/Twitter)

Enquanto o resto trabalhava na pista, a McLaren tentava enviar Alonso para fora dos boxes outra vez. O motor Honda chegou a ser ligado mais de uma vez, mas eram alarmes falsos. Na segunda oportunidade, os cobertores térmicos dos pneus tinham até sido removidos, mas o espanhol não se moveu um milímetro sequer. A terceira tentativa deu certo, e até tempo de volta ele marcou, quase 7s fora do ritmo do líder, para ir melhorando pouco a pouco. Ao todo, completou dez giros, com o melhor deles em 1min13s272.

Mais para o final da sessão, a Red Bull cresceu, e Daniil Kvyat marcou o terceiro tempo, mais veloz que Räikkönen por 0s03. O finlandês logo tratou de recuperar o lugar no top-3.

Nos últimos minutos, a Williams tratou de tirar mais tempo dos bolsos e subir na tabela de tempos. Valtteri Bottas se aproximou do compatriota da Ferrari para fechar em quarto, sendo que Massa, 0s4 mais lento, acabou em nono.

A Red Bull também deve ter ficado ligeiramente contente e com a esperança de não fazer tão feio quanto se espera correndo em casa: três de seus carros ficaram no top-10, e Sainz, o pior deles, em 11º.

Por fim, Nasr deu um grande salto para retornar ao top-5 e completar o TL1 em quinto em Spielberg. A diferença entre ele e Marcus Ericsson, seu companheiro de equipe e 15º colocado, foi de apenas 0s5.

VIU ESSA? NELSINHO PIQUET É ACERTADO POR RIVAL EM ESTREIA NA INDY

determinarTipoPlayer(“15505433”, “2”, “0”);

F1, GP da Áustria, Red Bull Ring, primeiro treino livre:

 
1 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES 1:10.401   36
2 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES 1:10.709 +0.308 28
3 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI 1:11.028 +0.627 22
4 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES 1:11.452 +1.051 26
5 12 FELIPE NASR BRA SAUBER FERRARI 1:11.633 +1.232 28
6 26 DANIIL KVYAT RUS RED BULL RENAULT 1:11.642 +1.241 31
7 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL RENAULT 1:11.724 +1.323 29
8 33 MAX VERSTAPPEN HOL TORO ROSSO RENAULT 1:11.825 +1.424 38
9 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES 1:11.890 +1.489 29
11 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO RENAULT 1:11.805 +1.404 37
12 13 PASTOR MALDONADO VEN LOTUS MERCEDES 1:11.948 +1.547 32
12 11 SERGIO PÉREZ ALE FORCE INDIA MERCEDES 1:12.004 +1.603 34
14 27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES 1:12.031 +1.630 36
14 30 JOLYON PALMER ING LOTUS MERCEDES 1:12.050 +1.649 27
15 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI 1:12.159 +1.758 30
16 22 JENSON BUTTON ING McLAREN HONDA 1:12.920 +2.519 30
17 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA 1:13.272 +2.871 10
18 28 WILL STEVENS ING MANOR MARUSSIA FERRARI 1:13.937 +3.536 29
19 98 ROBERTO MERHI ESP MANOR MARUSSIA FERRARI 1:15.459 +5.058 11
20 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI 1:15.684 +5.283 4
    TEMPO 107% TL1   1:15.329 +4.928  
               
RECORDE MICHAEL SCHUMACHER ALE FERRARI F2003-GA 1:07.908 17/05/03  
MELHOR VOLTA MICHAEL SCHUMACHER ALE FERRARI F2003-GA 1:08.337 18/05/03  
 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube