F1

Sainz agradece ajuda de Alonso e diz que F1 “vai perder grande caráter e um dos melhores da história”

Que Fernando Alonso é admirado pelo compatriota Carlos Sainz é inegável - mas as palavras do piloto da Renault sobre o da McLaren nessas últimas etapas de 2018, pré-despedida de Alonso da categoria, tem sido mais elogiosas do que o normal. Na última quinta-feira (7), em Interlagos, foi desta forma novamente
Warm Up, de São Paulo / FELIPE NORONHA, de Interlagos
 Carlos Sainz (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Carlos Sainz sentou para sua entrevista coletiva na sala da Renault em Interlagos, na última quinta-feira (8), para responder sobre seu ano na F1, sobre sua equipe e, talvez, comentar o futuro que lhe espera na McLaren em 2019. Mas a conversa tomou outro rumo.

Os jornalistas presentes, como notado pelo GRANDE PRÊMIO, estavam mais interessados em perguntar sobre Fernando Alonso, compatriota de Sainz e que se despede da F1 após as duas etapas finais da temporada. 
Fernando Alonso (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
E Sainz não se esquivou de comentar sobre Alonso - mais do que isso, não poupou elogios e comentários de respeito, assumindo até que "deve muito" ao #14.

"Como pessoa, Fernando tem um grande caráter. Especialmente quando tem proximidade a você. Comigo ele sempre foi carinhoso e sempre me ajudou muito. É algo que me faz admirá-lo muito, mais até do que por seus resultados. Ele sempre me ajudou, sempre que tem a chance. Devo muito a ele nesse sentido", disse.

"Em termos de talento não preciso falar muito, claro que gostei muito de batalhar com ele no meio do grid, o que foi estranho, pois esperava que ele pudesse brigar por vitórias. Ele me ajudou muito a aprender, a lutar como um campeão como ele nesses quatro anos. Ele é talentoso, um dos melhores da história de nosso esporte", seguiu.
Carlos Sainz (Foto: Renault)
Para Sainz, a F1 é a prejudicada com a saída de Alonso: "Vou sentir falta dele, mas não só eu: a F1 vai perder um grande caráter, um dos mais, ou o mais completo piloto do esporte hoje. Se o objetivo é encontrar o mais talentoso e mais completo piloto, essa é uma grande perda."

Questionado sobre se Alonso havia comentado as razões para a saída, mostrou pensar que o piloto da McLaren guarda seus motivos e não precisa justificá-los: "Eu acho que é uma decisão pessoal dele. Não sei se a F1 lhe decepcionou."

"Ele não quer andar no meio do grid, quer brigar por vitórias, por títulos. Talvez se o grid for mais parelho ele seja atraído novamente, os pilotos que tem que fazer a diferença. Como pilotos, todos queremos isso. Mesmo quem anda lá na frente, como Lewis (Hamilton)", completou.

E terminou com desejo sincero ao compatriota: "Espero que outra equipe consiga fazê-lo achar o amor novamente na F1."

GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ o GP do Brasil de F1 com os repórteres Evelyn Guimarães, Felipe Noronha, Fernando Silva, Gabriel Curty, Juliana Tesser, Nathalia De Vivo e Pedro Henrique Marum, e o fotógrafo Rodrigo Berton. Acompanhe tudo aqui.