F1

Sainz fica entre cautela e curiosidade ao ver McLaren líder: “Gostaria de saber se estamos na frente ou atrás”

Carlos Sainz liderou o sexto dia de testes da F1 em Barcelona, nesta quarta-feira (27). O piloto de Madri completou 130 voltas e fechou o dia com a marca de 1min17s144. O tempo mais veloz de toda a pré-temporada até aqui
GRANDE PRÊMIO, de Barcelona / ERIC CALDUCH, do Circuito da Catalunha / EVELYN GUIMARÃES, do CIRCUITO DA CATALUNHA
Carlos Sainz afastou qualquer otimismo em demasia ao falar da performance da McLaren nesta segunda semana de testes de pré-temporada em Barcelona. Pelo segundo consecutivo, a equipe inglesa liderou a tabela e foi capaz de andar por mais de 200 voltas. Mas isso ainda deixa uma pulga atrás da orelha do espanhol. 
 
Ainda sem certezas do que está acontecendo na pista, Sainz procurou avaliar o desempenho do carro inglês sem entusiasmo. “Seria muito precipitado dizer que agora somos uma equipe da frente. No ano passado estávamos muito atrás e não é momento para fazer previsões. Nós sabemos onde estamos na comparação com 2018, mas não sabemos onde estamos diante das outras equipes”, disse Carlos aos jornalistas, incluindo o GRANDE PRÊMIO.
 
Ao falar sobre a posição no topo da tabela, o espanhol reconheceu que vinha em ritmo de classificação quando alcançou a melhor marca do dia. “Para que fazer a primeira volta rápida apenas na Austrália? Os testes são para isso também, para que possamos avaliar o carro e os limites. Não estamos no limite, mas queremos ver como o carro se comporta nesta situação”, comentou.
Carlos Sainz (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
Apesar da liderança, Sainz também entende que a McLaren ainda está distante da Mercedes e da Ferrari, mas disse que a equipe inglesa deu um passo à frente entre os primeiros dias de testes e essa segunda semana.  “Ainda não temos a capacidade de levar um carro novo entre testes o GP da Austrália. É uma coisa que a equipe está trabalhando, mas ainda estamos longe. Não esperamos um carro revolucionário para Austrália, mas esperamos melhoras com base em tudo o que descobrimos aqui nestes dias”, prosseguiu o #55.
 
A McLaren, entretanto, também causou três bandeiras vermelhas nos dois dias em que esteve na frente. Para o Sainz não é um problema. E mostrou tranquilidade a respeito da confiabilidade do MCL34. “Foram problemas diferentes, mas solucionamos tudo. Não é algo reincidente”, disse Sainz.
 
Por fim, o espanhol também falou da visita do seu parceiro, amigo e compatriota Fernando Alonso, que foi anunciado não só como novo embaixador da McLaren, como também alguém que vai ajudar no desenvolvimento do carro atual. “Ter alguém como Fernando testando o carro é ótimo para a equipe. É uma boa referência”, concluiu.

GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ a pré-temporada da F1 em Barcelona com os repórteres Evelyn Guimarães, Vitor Fazio,  Eric Calduch e o fotógrafo Xavi Bonilla. Acompanhe tudo aqui.