São Paulo anuncia renovação com Fórmula 1 e mantém GP do Brasil em Interlagos

Anúncio foi feito pelo governador João Doria durante entrevista coletiva realizada nesta quinta-feira. Acordo com São Paulo é de 5 anos

Está dito e feito. Após enorme imbróglio que se esticou por mais de um ano, o Governo de São Paulo confirmou, na tarde desta quinta-feira (12), o acordo com a Fórmula 1 para a manutenção do GP do Brasil em Interlagos pelos próximos cinco anos.

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

O anúncio foi feito pelo governador João Doria durante entrevista coletiva. Conforme apontado na primeira versão do calendário da temporada 2021 divulgada pela F1 nesta semana, a prova será no fim de semana dos dias 12-14 de novembro. Exatamente daqui a um ano.

“Tenho o orgulho de revelar, com [prefeito de São Paulo] Bruno Covas, que a Fórmula 1 acaba de renovar o seu contrato para a realização do GP do Brasil de F1 até 2025”, afirmou Doria. “O contrato será assinado pelo prefeito Covas com o Liberty Media”, disse.

“É uma grande vitória para a cidade de são Paulo, para o estado e para o Brasil. É a vitória do bom senso e do equilíbrio”, argumentou.

Já o prefeito Covas afirmou que o evento deixará de se chamar GP do Brasil e passará a ser GP de São Paulo, embora essa informação ainda não tenha qualquer confirmação por parte do Liberty Media.

O anúncio finaliza as discussões que chegaram a tratar Interlagos como carta fora do baralho do GP do Brasil em determinado momento. Parte de uma iniciativa que visava forçar o projeto de autódromo em Deodoro, inclusive com lobby direto do diretor-executivo Chase Carey, em carta endereçada ao governador em exercício do Rio de Janeiro, Cláudio Castro.

Interlagos e F1 seguem juntos (Foto: AFP)

Na carta-lobby, Carey confirmou o que o consórcio Rio Motorsports dissera pouco antes: o grupo, que surgiu do zero para receber os direitos de construir um autódromo no lugar ocupado pela última floresta de Mata Atlântica do Rio de Janeiro, passara a ter os direitos para realizar uma corrida. Mas isso estava condicionado às liberações ambientais para o projeto. O que não aconteceu, após um parecer totalmente negativo do INEA – Instituto Estadual do Meio Ambiente.

A Rio Motorsports, então, recebeu a possibilidade de adquirir os direitos televisivos da F1 no Brasil a partir de 2021, mas teria 45 dias para provar que tinha condições financeiras para tanto. Não fez, porque jamais teve condições financeiras para nada próximo a isso. E acabou culpando, de maneira risível, “incertezas relacionadas à Covid-19 na Europa”.

No GP às 10 desta manhã [destacado no começo da matéria], Victor Martins e Flavio Gomes falaram sobre a queda da Rio Motorsports e o retorno da Globo nas conversas sobre direitos de televisão.

Com fim da sequência nesta temporada 2020, quando o evento foi cancelado por conta da pandemia do novo coronavírus, o GP brasileiro foi disputado ininterruptamente em Interlagos desde 1990. Antes disso, esteve no circuito entre 1972-1977 e 1979-1980. Ao todo, são 38 edições do GP do Brasil em Interlagos, dos quais 37 foram válidos para a pontuação do campeonato.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar