Sauber ainda aposta em superar Mercedes nos Construtores e espera GP do Brasil “imprevisível”

Monisha Kaltenborn acredita que a Sauber tem condições de superar a Mercedes e terminar a temporada 2012 do Mundial de Construtores na quinta posição. Apenas 12 pontos separam as equipes, faltando apenas o GP do Brasil para o encerramento do campeonato

A Sauber encerra sua melhor temporada na F1 desde 2001 no próximo fim de semana, em Interlagos. A escuderia suíça se destacou como a melhor do pelotão intermediário e conquistou quatro pódios: três com Sergio Pérez e mais um com Kamui Kobayashi. Contudo, desde o histórico terceiro lugar de Kobayashi no GP do Japão, a Sauber somou apenas oito pontos e freou sua ascensão no Mundial de Construtores.

O período também contrasta com a seca de pontos da Mercedes, quinta colocada, que estacionou nos 136, enquanto o time fundado por Peter Sauber acumula 124. Desde então, a Sauber teve quatro corridas para descontar a vantagem para a Mercedes, mas só diminuiu a diferença para os alemães em oito pontos, graças ao sexto lugar de Kobayashi em Abu Dhabi.

Monisha ainda acredita que a Sauber poderá passar a Mercedes no Mundial de Construtores (Foto: Sauber)

Falta apenas uma corrida, o GP do Brasil, para a Sauber conseguir os 13 pontos necessários para bater a Mercedes e igualar 2002 como o segundo melhor resultado da história do time no Mundial de Construtores. Como a Mercedes praticamente abandonou o desenvolvimento do W03, Monisha Kaltenborn, nova chefe de equipe da Sauber, acredita que o quinto lugar no Mundial é plenamente possível, ainda mais pelo fato de a última prova ser disputada em Interlagos, que, segundo a dirigente indo-austríaca, pode proporcionar um desfecho imprevisível.

“Agora nós temos de marcar pontos. Isso significa mais pressão, e agora só falta uma corrida para focar agora. Ainda é um desafio e uma meta que é possível de ser alcançada, mas isso também significa que esse é o melhor resultado que você pode ter nesta situação”, disse Monisha em entrevista ao site da revista britânica ‘Autosport’ antes de embarcar para São Paulo.

A comandante da Sauber lamentou as chances perdidas pela equipe de se aproximar — ou até mesmo ganhar posição — da Mercedes. “Nós não pudemos tirar proveito dessa situação quando a outra equipe com quem estamos lutando não pontuou. Mas eles estão em melhor posição. Eles não precisam pontuar para manter essa posição. Nós precisamos marcar 13 pontos, pelo menos”, disse.

Uma vez mais, Monisha disse que é possível chegar ao quinto lugar do Mundial, mas evitou fazer previsões dobre o fim de semana em Interlagos justamente porque muitos fatores podem influenciar no desenrolar da prova, como o clima, sempre instável. “Sim, acho que vai [ser possível]. Mas no Brasil você nunca sabe o que vai acontecer. É algo possível, mas é imprevisível”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube