F1
05/10/2013 10:22

Sauber descarta contar com Barrichello em 2014: “É melhor ser clara quanto a isso”

Monisha Kaltenborn esclareceu que foi respeitosa com Rubens Barrichello ao não dizer abruptamente que o brasileiro não correria pela Sauber em 2014, mas deixou claro que não considera contar com o piloto na próxima temporada
Warm Up / Redação GP, de São Paulo
 Rubens Barrichello entrevista o chefe da agência que lhe presta serviços, Ronaldo (Foto: Getty Images)

A cobertura completa do GP da Coreia de F1 no GRANDE PRÊMIO
As imagens do sábado da F1 na Coreia do Sul
Automobilismo na TV: a programação do fim de semana
As informações em tempo real dos treinos para o GP da Coreia

Rubens Barrichello não vai correr pela Sauber em 2014, esclareceu Monisha Kaltenborn, chefe da equipe suíça. Em entrevista a jornalistas no paddock de Yeongam neste sábado (5), a dirigente disse que respeita o currículo do brasileiro, porém, que ele não está nos planos de seu time para a próxima temporada.
A Sauber já descartou Barrichello para 2014 (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
“Estou descartando que ele vai pilotar para nós. Talvez seja melhor ser clara quanto a isso”, declarou Kaltenborn.

“Tenho muito respeito por Rubens, e eu não acho que seja certo apenas dizer abruptamente ‘não, não vamos conversar’. Eu entendo perfeitamente que ele queira pilotar e que está tentando o seu melhor”, falou.

“Converso muito com ele quando ele está aqui, falamos sobre jovens pilotos e tudo o mais, mas nunca discutimos sobre uma vaga no time. Essa é a realidade. É um pouco injusto com ele, pois não fica bom para ele, então vamos ser muito claros: não discutimos um contrato para o próximo ano, tampouco para o GP do Brasil”, completou.

Na manhã deste sábado, Barrichello usou sua conta no Twitter para afirmar que ficou contente com a repercussão que o tema teve na última semana e arrematou: “Se a porta se abrir, estou dentro...” A porta da Sauber, ao menos, não vai se abrir.

Barrichello deixou a F1 no fim da temporada 2011 depois de perder a vaga na equipe Williams para outro brasileiro, Bruno Senna. Foi, então, correr na Indy, e, em 2013, voltou para casa para disputar a Stock Car.