Sauber sai em defesa de Monisha após disputa judicial com Van der Garde: “Tenho muita sorte de tê-la”

Peter Sauber afirmou que sua equipe só está na F1 hoje por causa de Monisha Kaltenborn e que outras equipes gostariam de ter uma dirigente como ela no comando. Na semana passada, time viveu uma delicada situação com uma disputa judicial na Austrália, o 'caso Van der Garde'

Peter Sauber saiu em defesa de Monisha Kaltenborn depois da polêmica envovlendo seu time e o piloto holandês Giedo van der Garde na última semana em Melbourne. O fundador da equipe que leva seu nome afirmou que, não fosse pelo competente trabalho da dirigente, a escuderia não estaria mais na F1.

A Sauber se viu com três pilotos para preencher duas vagas até a manhã de sábado, quando Van der Garde aceitou ficar de fora da prova com um acordo de conciliação. Os advogados do piloto chegaram até a sugerir a prisão de Monisha.

Na sexta-feira, com a indiana convocada para a coletiva de imprensa oficial da FIA, houve um bombardeio de perguntas sobre a estabilidade de seu cargo. Ela garantiu que tinha a confiança de Peter Sauber e negou que cogitasse pedir demissão.

Peter Sauber defendeu Monisha Kaltenborn (Foto: Sauber)

Ao jornal suíço Blick, Peter Sauber foi enfático: "Sem Monisha Kaltenborn, não teria mais Sauber".

Ao jornal 'NZZ', ele seguiu defendendo sua sócia. "Eu não teria comprado a equipe de volta seis anos atrás se ela não tivesse declardo seu desejo de participar. Foi uma decisão conjunta", disse.

"E, para mim, tenho muita, muita sorte de tê-la nesta posição. Muitas outras equipes teriam sorte de ter esta mulher", completou.

A Sauber voltou a pertencer ao seu fundador após a retirada da BMW da F1, e logo depois Peter optou por se afastar do dia a dia da escuderia e entregando o cargo a Monisha, a primeira mulher a se tornar chefe de uma equipe na história do Mundial.

 

As imagens do domingo do GP da Austrália
#GALERIA(5246)

POUCOS CARROS
E MUITA HISTÓRIA

Arnold Schwarzenegger junto de Lewis Hamilton no pódio em Melbourne (Foto: Reprodução)Lewis Hamilton obteve neste domingo na Austrália uma de suas vitórias mais tranquilas na carreira. Uma vez que contornou a primeira curva na frente, não sofreu qualquer pressão de Nico Rosberg. As Mercedes chegaram longe de Sebastian Vettel e Felipe Massa, terceiro e quarto, respectivamente. E Felipe Nasr ficou com um quinto lugar, pontuando na estreia na F1.

CORUJÃO DA F1

A nova transmissão comandada por Galvão Bueno que vai tentar aproximar o público das pessoas que levam a F1 à TV precisa de algumas coisas antes de ser continuada. Há que ser divulgada pela emissora. Depois, precisa tornar mais enxuto o número de convidados e oferecer uma razão de ser aos presentes no estúdio. Especialmente tem que dar prioridade sempre às notícias sobre F1. Apesar de uma primeira experiência desconfortável, a ideia pode ser amadurecida e tem potencial para dar bons frutos.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube