Sauber segue confiante em superar Mercedes, mas ressalta: “Temos de pontuar com os dois carros”

Sem pontuar desde o GP do Japão, a Sauber continua 20 pontos atrás da Mercedes na briga pela quinta posição no Mundial de Construtores. A sorte é que a Mercedes não pontua há três corridas. A chefe da equipe suíça, Monisha Kaltenborn, disse que seus dois pilotos precisarão fazer mais nas corridas que restam em 2012

Quando Kamui Kobayashi subiu ao pódio no GP do Japão e a dupla da Mercedes ficou de fora da zona de pontuação, 20 pontos passaram a separar a Sauber da escuderia germânica na classificação do Mundial de Construtores, indicando uma briga aberta pela quinta posição. Contudo, desde então, nenhum carro dessas duas equipes voltou a terminar uma corrida no top-10.

Para a chefe da Sauber, Monisha Kaltenborn, se seu time quiser mesmo superar os alemães e terminar 2012 como o quinto melhor da F1, tanto Kobayashi quanto Sergio Pérez precisarão somar pontos na reta final do campeonato. A dirigente admitiu que a Sauber está frustrada por ter perdido algumas oportunidades.

A Sauber não pontua desde o GP do Japão (Foto: Sauber)

“Estamos muito desapontados”, declarou a primeira mulher chefe de equipe na F1 em entrevista à revista britânica ‘Autosport’. “Sabemos que realmente precisamos marcar pontos nas corridas finais para nos colocarmos em uma posição que permita brigar à frente e também nos defender”, analisou Kaltenborn. Com quatro pódios em 17 corridas, o time fundado pelo suíço Peter Sauber tem 116 pontos, 20 a menos que a Mercedes e 23 a mais que a Force India, que ainda sonha em alcançar o quinto lugar.

No GP da Índia deste fim de semana, Pérez tinha chances de terminar entre os dez melhores, mas abandonou após sofrer um furo no pneu. Já Kobayashi não conseguiu fazer muito e foi somente o 14º colocado.

“Sair com nenhum ponto é muito desapontador. A meta ainda é a mesma, pois queremos terminar lá em cima, mas vai ficar cada vez mais difícil”, avaliou. “Dissemos há algum tempo que queríamos dar o nosso máximo para tentar uma posição melhor, mas só é possível se você pontuar com os dois carros”, continuou.

“É muito claro agora que temos de marcar pontos com os dois carros, do contrário, não seremos capazes de atacar”, reconheceu Kaltenborn. “Eles ainda estão 20 pontos à nossa frente. Não precisam marcar pontos se nós não marcarmos. Nós é que temos que pontuar. Mas a briga ainda está aberta”, concluiu a indiana.

Em 2012, foram apenas duas as ocasiões em que Pérez e Kobayashi somaram pontos na mesma corrida: na Austrália, no Canadá, na Alemanha e na Itália.

O melhor resultado da história da Sauber no Mundial de Construtores foi um quarto lugar, em 2001, com Kimi Räikkönen e Nick Heidfeld. Naquele ano, a equipe somou 21 pontos e apenas um pódio, de Heidfeld no GP do Brasil. Terceira colocada, a Williams fez 80 pontos.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube