Schumacher diz que esperava mais e justifica retorno à F1: “Queria seguir minha paixão e triunfar”

Um dos fatores que atraiu Michael Schumacher de volta para a F1 foi a base da Mercedes, que adquiriu a Brawn, então campeã mundial de Pilotos e Construtores no fim da temporada de 2009

Michael Schumacher reconhece que esperava muito mais desses seus três anos de retorno à F1. Depois de ter deixado a categoria como o maior vencedor da história, em 2006, o alemão, hoje com 43 anos, surpreendeu o mundo do esporte ao anunciar, três anos depois, sua volta às pistas, não mais com a Ferrari, mas com a Mercedes. Mas, durante três temporadas, tudo o que o heptacampeão mundial conseguiu foi um pódio (terceiro lugar no GP da Europa de 2012) e 191 pontos.

Schumacher depositou boa parte da sua motivação em voltar à F1 à base que a Mercedes tinha em 2010. O time havia comprado, meses antes, a base da surpreendente Brawn, que conquistou o título do Mundial de Pilotos, com Jenson Button, e também o campeonato dos Construtores, que teve a ajuda de Rubens Barrichello. Além da estrutura promissora que a Mercedes tinha, contou também a sua paixão pelo esporte e pelas vitórias.

Schumacher disse voltou às pistas graças à paixão pela F1 e à estrutura da Mercedes (Foto: Mercedes)

“Só posso dizer que não voltei para andar em círculos. Queria seguir minha paixão e triunfar”, comentou o dono de 91 vitórias e 68 poles em entrevista ao diário alemão ‘Welt am Sonntag’. “A base era boa naquele momento: a equipe tinha acabado de ganhar os dois campeonatos (como Brawn), então, adicionando o grande nome da Mercedes, e o meu, tudo parecia bom”, lembrou o heptacampeão.

“Pensamos: se você somar dois mais dois, dá certo. No fim das contas, não foi possível, como todos nós sabemos”, lamentou Schumacher, que, na semana passada, disse que não se arrepende de ter retornado à F1 e que “aprendeu a perder”.

Mostrando bom humor, Schumacher provou que lê tudo o que sai ao seu respeito e mencionou um rumor a seu respeito. Segundo a especulação, publicada antes do anúncio da sua aposentadoria, indicava que o alemão tinha problemas de visão. Fato que foi protamente rechaçado por Michael.

“Você aprende a lidar com isso. Há algumas pessoas que simplesmente tentam criar manchetes em cima de mim. Quando você entende isso, o melhor é ignorar. Queria ter ido para a entrevista coletiva em Suzuka com um bastão depois de todas as perguntas se eu precisava de óculos e sobre cegueira noturna. Só me restou rir. Meus olhos estão perfeitos”, garantiu Schumacher.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube