F1

Sem acordo entre governo federal e Liberty Media, GP do México deixa calendário da Fórmula 1 a partir de 2020

A edição de 2019 do GP do México será a quinta e última no novo traçado do autódromo Hermanos Rodríguez. O governo federal, que tem à frente o presidente Andrés Manuel López Obrador, os promotores da Corporación Interamericana de Entretenimento e o Liberty Media não chegaram a um acordo e, assim, a corrida sai do calendário em 2020. A informação é da sucursal mexicana da rede de TV ESPN

Grande Prêmio / Redação GP, do Rio de Janeiro
É o fim da linha para o GP do México. Está definido que não haverá renovação contratual e, desta forma, a corrida deixa o calendário da Fórmula 1 após a edição de 2019. O novo governo federal mexicano, desde o começo do ano, já havia deixado claro que o futuro da corrida era uma enorme interrogação.
 
A informação foi divulgada pela filial mexicana da rede de TV ESPN. O veículo informa que não houve acordo entre o governo federal, a Corporación Interamericana de Entretenimento, promotora do evento, e o Liberty Media. Os promotores chegaram a pedir uma extensão do prazo para a negociação, mas mesmo assim não foram adiante.

A base da conversa era a necessidade do governo de Andrés Manuel López Obrador, presidente do país, desembolsar € 37 milhões - cerca de R$ 165 milhões -, algo que ele avisou meses atrás não estar inclinado a fazer.
 
"Não sei como está o contrato da F1, mas se não estiver assinado nós não vamos poder assinar. Alguns eventos foram financiados pelo fundo de desenvolvimento do turismo, e esse fundo está agora destinado à construção do Tren Maya", disse López Obrador em entrevista coletiva realizada em fevereiro.
Lewis Hamilton (Foto: Mercedes)
A Tren Maya - ou Trem Maia -, como foi apelidada a ferrovia, é um projeto de cerca de 3.600 km de extensão com a intenção de ligar passageiros a uma série de sítios arqueológicos e locais históricos por todo o país. 
 
O diretor-executivo da Fórmula 1, Chase Carey, garantiu que o calendário para a temporada 2020 ainda está sendo desenvolvido, mas a provável saída do México casa com as entradas dos GPs do Vietnã e da Holanda, já confirmados.
 
"O calendário de 2020 não está terminado. Provavelmente vai demorar mais um ou dois meses. Ano passado nós terminamos em agosto, mas o objetivo agora é terminar até julho", afirmou.
 
A prova da Cidade do México retornou ao calendário da Fórmula 1 em 2015 após 23 anos de ausência.


Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.