carregando
F1

Sem acordo para renovação, Vettel encerra conversas e deixa Ferrari no fim de 2020

O tetracampeão recebeu propostas da equipe italiana, que tinha intenção de mantê-lo por pelo menos mais um ano, mas as conversas terminaram num beco sem saída

Grande Prêmio / PEDRO HENRIQUE MARUM, do Rio de Janeiro / VITOR FAZIO, de Berlim
Acabou. Após cinco anos e com uma possível sexta temporada - caso tenha Fórmula 1 em 2020 - no horizonte, Sebastian Vettel deixará a Ferrari no fim do ano, quando o contrato chegar ao fim. A equipe italiana fez ofertas e tinha interesse em manter o tetracampeão mundial por pelo menos mais um ano, mas as tentativas embicaram numa rua sem saída. O fim das negociações foi formalmente anunciado nas primeiras horas desta terça-feira (11).
 
A notícia foi adiantada pelo jornal alemão 'Bild' no começo da noite de segunda-feira no Brasil, já madrugada de terça-feira na Alemanha. Horas depois veio o anúncio oficial de que o piloto de 32 anos - fará 33 em julho - não estará nos quadros de Maranello em 2021.

Assista ao debate sobre a saída de Vettel da Ferrari no PADDOCK GP

“Minha relação com a Ferrari se encerra ao fim de 2020", disse Vettel, através de comunicado divulgado pela Ferrari. "Para conseguir os melhores resultados possíveis no esporte, é vital que todos os envolvidos trabalhem em harmonia. A equipe e eu percebemos que não há mais um desejo comum de seguir juntos além dessa temporada. Questões financeiras não foram um fator nessa decisão conjunta. Não é assim que eu penso quando tomo certas decisões, nem nunca será”, seguiu.
 
“O que está acontecendo nesses últimos meses levou muitos de nós a refletir sobre as reais prioridades na vida. Você precisa usar a imaginação e adotar uma nova abordagem. Eu, por exemplo, vou usar o tempo para refletir no que realmente importa quando o assunto é o meu futuro. A Ferrari ocupa um lugar especial na F1 e espero que tenha todo o sucesso que merece. Por fim, quero agradecer a todos na família Ferrari, todos os tifosi do mundo, todo o suporte que tive ao longo dos anos. Meu objetivo imediato é terminar minha passagem pela Ferrari, torcendo por novos momentos lindos juntos, completando os outros tantos que já tivemos”, destacou.
Charles Leclerc e Sebastian Vettel: companheiros apenas até o fim do ano (Foto: Reprodução)
“Essa é uma decisão conjunta tomada por nós e por Sebastian, uma decisão que as duas partes consideram ser para o bem", destacou Mattia Binotto, chefe de equipe. "Não foi uma decisão fácil, considerando o valor do Sebastian como piloto e como pessoa. Não houve razão específica para essa decisão, além da crença comum e amigável de que já é hora de tomar caminhos diferentes para alcançar nossos respectivos objetivos”, seguiu.

Vettel falara sobre a Ferrari como primeira opção dele em 2021, mas já havia rejeitado uma oferta formal que buscava apenas um ano de contrato e queda salarial brusca. Depois, de acordo com o jornal italiano 'La Gazzetta dello Sport', uma segunda proposta foi feita: aumentava o tempo de contrato para 2022, mas mantia a queda salarial. Apesar disso, falou à revista alemã 'Auto Bild' que "a paixão pela Ferrari estava aqui, a marca é muito especial e o que me atrai é ganhar aqui".

Além do tempo de contrato e salário, outra situação ventilada como entrave para o acordo era a maneira de gerenciar a dupla de pilotos. Charles Leclerc tem 22 anos e vai apenas para o segundo ano como piloto da Ferrari, mas já recebeu um acordo até 2024 e tende a ser cada vez mais o queridinho da equipe no futuro. 
Sebastian Vettel chega ao fim da linha em Maranello (Foto: Ferrari)
Pesam ainda os conflitos entre ambos e a forma desastrada como a Ferrari lidou com isso em 2019. Tudo indica que Vettel e Leclerc se dão bem no dia a dia, mas se desentenderam algumas vezes nas pistas no primeiro ano da parceria. O auge foi no GP do Brasil, quando colidiram entre si e abandonaram
 
Vettel chegou à Ferrari em 2015 após quatro títulos mundiais com a Red Bull entre 2010 e 2013 e, ainda, viver o primeiro grande momento como piloto da F1 justamente na Itália, em 2008, quando levou a Toro Rosso para a única vitória da história da escuderia de Faenza. 
 
Como piloto da Ferrari, Vettel tem 102 corridas e 14 vitórias, além de 54 pódios e dois vice-campeonatos.


Paddockast #60
OS PIORES PILOTOS DA HISTÓRIA DA F1


Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.