Sem dinheiro para pagar fiança de R$ 42 mil, homem que invadiu GP de Cingapura pode pegar até seis meses de prisão

Yogvitam Pravin Dhokia tem 27 anos e, embora tenha descendência local, é cidadão britânico. O homem foi preso pelas autoridades de Cingapura e teve o passaporte confiscado. A justiça da cidade-estado cobrou uma fiança de cerca de R$ 42 mil, que não foi pago pelo invasor, que alegou não ter tal quantia

O homem que invadiu a pista durante o GP de Cingapura, no último domingo (20), teve sua identidade divulgada pela polícia local. Trata-se de Yogvitam Pravin Dhokia, de 27 anos, de cidadania britânica. Desempregado, Dhokia alega não ter condições de pagar os mais de R$ 42 mil de fiança exigidos pela justiça de Cingapura e, por isso, poderá pegar até seis meses de prisão pelo ocorrido.

Na 36ª volta da corrida, o homem atravessou o guard-rail e caminhou por alguns metros entre as curvas 13 e 14, colocando não apenas sua vida em risco, mas também a dos competidores. A direção de prova logo acionou a bandeira amarela e, em seguida, Dhokia deixou a pista antes de ser preso pelas autoridades cingapurianas.

Polícia cingapuriana divulgou a identidade do homem que invadiu a pista durante a corrida no domingo (Foto: Reprodução/Twitter)

Em entrevista à agência ‘Reuters’ pouco depois da corrida, Toto Wolff, diretor-esportivo da Mercedes, disse que “ele deve ter tomado algumas cervejas. Eu fiquei assustado. Isso pode causar um grande acidente, e é algo perigoso para os pilotos”, comentou o dirigente austríaco.

Em acusação formal oferecida pela Justiça de Cingapura, o documento diz que Dhokia “agiu de forma precipitada e colocou em risco a segurança dos pilotos envolvidos na corrida ao cruzar a pista enquanto a prova estava em curso”.

A imprensa local informou que o passaporte britânico de Dhokia foi confiscado. Preso, o cidadão poderia ganhar a liberdade mediante o pagamento de cerca de 15 mil dólares cingapurianos (R$ 42 mil) de fiança. Mas o invasor alegou não ter condições de arcar com as despesas. Por isso, poderá pegar até seis meses de detenção em Cingapura.

“Atualmente, não estou trabalhando. Gastei todas as minhas economias com as passagens. Não tenho esse dinheiro”, declarou o britânico em entrevista à emissora Channel News Asia.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube