F1

Sem parte final da classificação, Rosberg conquista pole em Austin com base no Q2. Hamilton larga em segundo

Nico Rosberg acabou garantindo a pole-position depois de ter feito o melhor tempo no Q2. A direção de prova optou por cancelar o Q3 em razão das fortes chuvas em Austin
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré
 Nico Rosberg debaixo da forte chuva em Austin na manhã deste domingo (Foto: F1/Reprodução)


Restando quatro horas para a largada do GP dos Estados Unidos, finalmente a F1 conseguiu definir o grid de largada da 16ª etapa da temporada 2015 do Mundial de F1. Debaixo de uma chuva ainda muito forte e persistente em Austin, Nico Rosberg acabou garantindo a pole-position na manhã deste domingo (25) depois de ter feito o melhor tempo no Q2. A direção de prova optou por cancelar o Q3 em razão do permanente temporal no Circuito das Américas.

Daniel Ricciardo vai largar em terceiro lugar e dividirá a segunda fila do grid com o companheiro de Red Bull, Daniil Kvyat. Na terceira fila, Sergio Pérez herdou a quinta colocação de Sebastian Vettel, punido com a perda de dez posições em virtude da troca de motor, e vai dividir a terceira fila com Nico Hülkenberg, seu parceiro de Force India. Felipe Massa vai partir em sétimo lugar, também beneficiado pela punição imposta a Kimi Räikkönen. O brasileiro vai largar ao lado de Max Verstappen, da Toro Rosso. Fernando Alonso e Valtteri Bottas vão fechar o rol dos dez primeiros do grid.

Felipe Nasr, por sua vez, vai largar apenas em 17º lugar na corrida que está marcada para logo mais, às 17h (horário de Brasília).
O pole Nico Rosberg debaixo da forte chuva em Austin na manhã deste domingo (Foto: F1/Reprodução)
Saiba como foi o treino classificatório do GP dos Estados Unidos de F1

Apesar da persistente e forte chuva em Austin, grande marca de todo o fim de semana, a direção de prova deu o sinal verde para a realização do treino classificatório, finalmente, na manhã deste domingo no Texas. Perto do horário previsto para o início da sessão, eram inúmeros os carros chegando ao Circuito das Américas pelas estradas vicinais da região. Uma prova de que o norte-americano gosta, sim, da F1.

Chovia muito, e por isso a direção de prova sequer autorizou o uso dos pneus intermediários, limitando pilotos e equipes ao uso dos compostos de chuva forte. Às 9h locais, meio-dia pelo horário de Brasília, os primeiros carros alinharam no pit-lane para, enfim, começar pra valer o treino classificatório no Texas. Não havia tempo a perder naquele momento, definitivamente. Mas considerando o fato de que a corrida seria cinco horas depois da classificação, todo cuidado era pouco.
Fernando Alonso sai dos boxes rumo ao aguaceiro de Austin (Foto: McLaren/Twitter)

Em tenso Q1, Ricciardo dá show, Massa escapa por pouco e Nasr é eliminado

Com o tráfego intenso, a visibilidade era muito prejudicada, gerando condições críticas aos pilotos. O risco de algum incidente era evidente. "Está muito escuro", disse Kimi Räikkönen via rádio para a Ferrari. Mas o treino seguia seu curso.

Hamilton já começou o Q1 com o melhor tempo, sendo o primeiro a andar abaixo de 2min: 1min59s393. Lewis era seguido pela dupla da Red Bull, formada por Daniel Ricciardo e Daniil Kvyat. Max Verstappen vinha em um ótimo quarto lugar, à frente de Valtteri Bottas e Jenson Button. Também tinham marcado tempo Felipe Massa, em sétimo, Romain Grosjean, em oitavo, Pastor Maldonado em nono e Marcus Ericsson fechando o top-10.
Carlos Sainz bateu no começo do Q1 em Austin (Foto: Reprodução/TV)
Até que Carlos Sainz perdeu o controle do seu carro ao passar pela zebra e bateu na barreira de proteção da curva 3, gerando a primeira bandeira vermelha do dia, com 12min46s de Q1. "Bati. Me desculpem, caras, me desculpem", disse Carlos via rádio para a Toro Rosso e confirmou: "Estou bem". De fato, eram muitos os pontos perigosos na pista, onde os pilotos facilmente poderiam aquaplanar.

Minutos depois, a pista foi liberada para o recomeço do Q1 em Austin. A previsão era de ainda mais chuva para a sequência da classificação, por isso uma grande fila foi formada no pit-lane. Todo mundo queria marcar  de imediato seus respectivos tempos. Afinal, caso a sessão fosse interrompida, valeriam para a definição do grid os tempos registrados na primeira parte da classificação. Naquele momento, só 11 pilotos tinham marcado volta rápida.

Na sequência, Nico Rosberg marcou um bom tempo, 1min59s875, e pulou para segundo lugar, ficando só atrás de Hamilton depois de ter perdido um pouco de performance no terceiro setor. Mas Hamilton deu o troco em seguida e sumiu na frente ao registrar a melhor marca de todo o fim de semana naquele momento: 1min58s025. Um tempo excepcional e que mostrava não só o equilíbrio do carro da Mercedes, mas também todo o talento de Lewis no molhado. Mas Ricciardo também brilhou com uma volta igualmente grandiosa e ficou a apenas 0s160 o tempo de Hamilton para pular para o segundo lugar. 

Com cinco minutos para o fim do Q1, Nasr ocupava apenas o 17º lugar na tabela de tempos. Massa não estava muito melhor e vinha só em 13º lugar. Lá na frente, Rosberg tivarava Hamilton da ponta da sessão e, com 1min57s469, voltava a ocupar o topo da tabela de tempos depois de liderar o primeiro treino livre de sexta. Por outro lado, Sebastian Vettel escorregou e acertou de leve o guard-rail em plena reta.
Vettel tomou um susto e chegou a tocar de leve no guard-rail (Foto: Reprodução/TV)
A sessão seguia bem movimentada: primeiro, porque Ricciardo superou os dois carros da Mercedes e, de forma brilhante, passou para a liderança do treino com 1min57s163. Mas em seguida, Hamilton respondeu e se colocou novamente em primeiro, deixando para trás Daniel e também Rosberg. Só que, já com a bandeira quadriculada, Ricciardo voltou à ponta da sessão com 1min59s465 e trouxe consigo Rosberg, deixando Lewis em terceiro. Kvyat era outro que brilhava com o ótimo quarto lugar.

Os brasileiros não tiveram um Q1 muito positivo. Massa não foi eliminado por pouco e terminou em 14º. Vettel, que não voltou à pista depois de tocar no guard-rail, veio logo atrás. Pior para Nasr, que foi eliminado ao lado de Marcus Ericsson, Alexander Rossi, Will Stevens e Carlos Sainz, que acabou batendo no começo da sessão.

Resultado do Q2 define grid e coloca Rosberg na pole em Austin

Novamente formou-se a fila no pit-lane antes do início do Q2 no Texas. Embora a pista ainda estivesse em condições bem complicadas, Daniil Kvyat reportou uma melhora da situação, sobretudo em termos de aderência. No fim das contas, eram os tempos de volta que iriam evidenciar se havia de fato uma melhora das condições.

A dupla da Ferrari logo marcou seus primeiros tempos, mas a Mercedes sobrava. Tanto que, depois de Hamilton marcar 1min57s555, Rosberg virou uma marca ainda melhor, com 1min56s824. De fato, a pista estava mesmo melhor, ainda que muitos pilotos estavam sofrendo com a aquaplanagem. Ricciardo voltava a mostrar bom desempenho e vinha em terceiro, seguido então por Vettel e Sergio Pérez.

Em seguida, Hamilton fez outra grande volta, mas não foi o bastante para superar Rosberg. Mesmo com a segunda e a terceira melhores parciais da sessão, Lewis ficou a 0s105 do tempo de Rosberg. Ricciardo, Vettel, Pérez, Hülkenberg, Räikkönen, Massa, Verstappen e Alonso completavam o rol dos dez primeiros com seis minutos para o fim do Q2. Kimi se queixava das condições da pista: "Não tenho aderência, e o carro está aquaplanando em todo o lugar", bradou.
Hamilton despontou como favorito à pole-position nos Estados Unidos (Foto: F1/Reprodução)
De fato, nem mesmo a Mercedes escapava. Hamilton rodava na curva 10, mas sem maiores consequências. No topo da tabela, a equipe prateada ainda sobrava, com Rosberg e Lewis. Ricciardo continuava em terceiro e era seguido por Kvyat, que conseguiu melhorar bem sua marca e, e quebra, relegava Alonso para fora do Q3. Além de Fernando, ficaram de fora Bottas, Jenson Button e a dupla da Lotus, Romain Grosjean e Pastor Maldonado. Massa avançou à fase final do treino em nono.

Antes de levar adiante a realização do Q3, a direção de prova adiou a fase final da classificação em cinco minutos para tentar melhorar, com um caminhão-turbina, daqueles utilizados geralmente na Indy, as condições da encharcada pista. Havia uma grande chance de o Q3 sequer ir adiante, com a FIA determinando a ordem final do Q2 como o grid de largada do GP dos Estados Unidos. E, depois de algum tempo, a direção de prova determinou o cancelamento do Q3 e garantiu a pole-position de Nico Rosberg em Austin.

F1, GP dos Estados Unidos, Circuito das Américas, grid de largada:

1 6 NICO ROSBERG ALE MERCEDES   1:56.495   16
2 44 LEWIS HAMILTON ING MERCEDES   1:56.929 +0.434 14
3 3 DANIEL RICCIARDO AUS RED BULL RENAULT   1:57.969 +1.474 16
4 26 DANIIL KVYAT RUS RED BULL RENAULT   1:58.434 +1.939 16
5 11 SERGIO PÉREZ MEX FORCE INDIA MERCEDES   1:59.210 +2.715 16
6 27 NICO HÜLKENBERG ALE FORCE INDIA MERCEDES   1:59.333 +2.838 16
7 19 FELIPE MASSA BRA WILLIAMS MERCEDES   1:59.999 +3.504 17
8 33 MAX VERSTAPPEN HOL TORO ROSSO RENAULT   2:00.199 +3.704 17
9 14 FERNANDO ALONSO ESP McLAREN HONDA   2:00.265 +3.770 16
10 77 VALTTERI BOTTAS FIN WILLIAMS MERCEDES   2:00.334 +3.839 16
11 8 ROMAIN GROSJEAN FRA LOTUS MERCEDES   2:00.595   17
12 5 SEBASTIAN VETTEL ALE FERRARI P +10 1:58.596   13
13 22 JENSON BUTTON ING McLAREN HONDA   2:01.193   16
14 13 PASTOR MALDONADO VEN LOTUS MERCEDES   2:01.604   17
15 9 MARCUS ERICSSON SUE SAUBER FERRARI   2:02.212   9
16 12 FELIPE NASR BRA SAUBER FERRARI   2:03.194   9
17 53 ALEXANDER ROSSI EUA MANOR MARUSSIA FERRARI   2:04.176   9
18 7 KIMI RÄIKKÖNEN FIN FERRARI P +10 1:59.703   15
19 55 CARLOS SAINZ JR ESP TORO ROSSO RENAULT   2:07.304   2
20 28 WILL STEVENS ING MANOR MARUSSIA FERRARI P +10 2:04.526   9
    TEMPO 107% Q1     2:04.650    
                 
RECORDE SEBASTIAN VETTEL ALE RED BULL RENAULT   1:35.657 17/11/2012  
MELHOR VOLTA SEBASTIAN VETTEL ALE RED BULL RENAULT   1:39.347 18/11/2012  

VIU ESSA? O POLÊMICO INCIDENTE ENTRE ROSSI E MÁRQUEZ NA MOTOGP