carregando
F1

Sem pontos após toque com Rosberg, Hamilton diz não entender acidente: “Eu dei espaço para o cara”

Toque entre Lewis Hamilton e Nico Rosberg aconteceu ainda na terceira volta do GP da Bélgica, mas as consequências impossibilitaram a recuperação do britânico. Sem compreender o que aconteceu, Hamilton agora se vê 29 pontos atrás do companheiro na briga pelo título

Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
A cobertura completa do GP da Bélgica no GRANDE PRÊMIO
As imagens do domingo da F1 em Spa-Francorchamps
O passo a passo da 12ª etapa do Mundial de F1
icone_TV Automobilismo na TV: a programação do fim de semana

Os reflexos do que aconteceu no GP da Bélgica desse domingo (24) entre as duas Mercedes vão ainda muito longe. Ainda era a terceira volta da prova quando, Lewis Hamilton tentou se defender do ataque de Nico Rosberg, e os dois acabaram se tocando, com o britânico levando a pior. Após a prova, Hamilton demonstrou certa insatisfação velada com a atitude do companheiro e cada vez mais inimigo íntimo.
 
Na terceira volta da prova, Rosberg resolveu atacar na Les Combes. Na primeira perna, Hamilton conseguiu se defender; na segunda, os dois se tocaram e o vice-líder do campeonato acabou com um pneu furado. Mais do que isso: a aerodinâmica do carro #44 também ficou comprometida, tornando muito difícil uma possível corrida de recuperação. No fim das contas, Hamilton acabou abandonando.
Hamilton e Rosberg brigam no início da prova (Foto: Reuters)
A digestão do incidente não foi bem feita pelo britânico. Seu ponto de vista é que o espaço foi dado para que Rosberg, mais rápido, passasse. 
 
"Não entendi o que aconteceu. Senti um grande baque na traseira. Eu dei espaço para o cara, não sei o que houve. É bem ruim pelo resultado e por todo o meu time. Tivemos um ano tão difícil, não só o pessoal da minha garagem, mas todo o time, em geral. Não é bom para a equipe, poderia ter sido uma dobradinha", disse.
 
"Não foi desistência, eu perdi pelo menos 40, 50 pontos de downforce. Não pude fazer nada, eu estava guiando como podia, mas não estava sob controle. Não pude alcançar Romain Grosjean. Não importaria nem se o safety car fosse à pista, eu não passaria. Sutil estava fugindo de mim. Gastei um motor na corrida passada, já tenho um a menos que o Nico", encerrou.
 
A prova acabou complicada também para o alemão, mas Rosberg conseguiu chegar na segunda colocação, assegurando mais 18 pontos. A diferença entre os dois, que era de 11 pontos, agora é de 29. A F1 volta em 7 de setembro com o GP da Itália.