F1

Sem se intimidar com liderança na McLaren, Sainz avisa: “Chego com confiança e muito conhecimento”

Companheiro de Lando Norris em 2019, Carlos Sainz afirmou que não se sente intimidado pela liderança da McLaren. Espanhol garantiu que chega a Woking com confiança e muito conhecimento
Warm Up / Redação GP, de São Paulo

Mais experiente entre os pilotos da McLaren para 2019, Carlos Sainz Jr. não se deixou intimidar pela função de líder da escuderia de Woking. O espanhol vai formar par com o estreante Lando Norris no próximo ano.
 
Depois de passar por Toro Rosso e Renault, Sainz entende que tem a experiência necessária para conduzir a McLaren e garantiu que chega ao time com a confiança em alta.
 
Questionado pela publicação inglesa ‘Autosport’ se se sentiu intimidado pelo novo posto, Sainz respondeu: “É bom. De alguma forma, parece poderoso”. 
Carlos Sainz Jr. se mostrou confortável no posto de líder da McLaren (Foto: McLaren)
“Vou chegar a McLaren em meu quinto ano na F1. Passei por duas equipes e ainda tenho aquele campeonato da World Series vivo na minha mente”, contou. “Então chego com confiança e muito conhecimento. Quando você trabalha para duas equipes diferentes, com características de equilíbrio do carro bastante diferentes, de acerto, como foi entre a Toro Rosso e a Renault, acho que estive em dois extremos de equilíbrio do carro”, continuou.
 
“Por causa disso, vou para a McLaren com muito conhecimento e também querendo liderar, e seguir uma direção com eles que espero que seja boa”, comentou.
 
Ainda, Carlos falou de 2018 como um “ano de aprendizado” e avaliou que esta experiência também será útil para a McLaren.
 
“Eu aprendi bastante. Segui caminhos muito diferentes com o acerto para tentar otimizar o carro”, falou Sainz. “Também neste ano, eu fui forçado ao erro em corridas enquanto estava experimentando para tentar encontrar algo extra no carro”, explicou.
 
“Então foi um grande ano de aprendizado para mim, porque estive realmente focado em tentar melhorar o carro que tinha”, frisou. “Acho que progredi muito neste sentido também. Vai ser uma boa experiência para mim e para a McLaren no futuro”, concluiu.