F1

Sirotkin projeta ida ao Q2 e trata como “bom resultado”. Stroll torce por chuva para pontuar

Sergey Sirotkin acredita que a Williams tem condições de avançar à segunda fase da classificação e vê o feito com bons olhos. Para o russo, a equipe tem bom ritmo de corrida, mas nada que anime muito o companheiro Lance Stroll, que torce por chuva para ter chances de pontuar.
Warm Up, de Interlagos / GABRIEL CURTY, de Interlagos
 Sergey Sirotkin (Foto: Williams)
 
A Williams teve mais um dia de pouco brilho na temporada 2018, mas seus pilotos saíram da sexta-feira (9) de Interlagos com sentimentos contrastantes. Enquanto Lance Stroll acha que só a chuva pode ajudar a pontuar, Sergey Sirotkin já é mais otimista e vê o time de Grove buscando um "bom resultado" já no sábado: passar pelo Q1.
 
Sirotkin explicou que o desempenho mais apagado no TL1 foi pela quantidade de testes que a Williams estava fazendo em seu carro, mas que o bólido mostrou um desempenho competente.
 
"Foi um dia bem cheio. A gente testou várias coisas no meu carro de manhã e elas vão ser bem úteis para o desenvolvimento do carro do ano que vem, então foi um dia daqueles complicados, mas consegui me sair bem. O carro está bom nessas condições de pista, em ritmo de corrida está surpreendentemente bom, então foi um dia cheio, mas bom", disse.
Sergey Sirotkin (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
O russo não soube projetar ao certo sua posição na classificação, mas acha que dá para avançar ao Q2, o que já estaria de bom tamanho pelo ano da Williams.
 
"Temos muitas variáveis para saber que resultado esperar de amanhã, mas eu acho que, se as coisas seguirem assim, dá para passar o Q1 e isso seria um resultado bom para o que tem sido a nossa temporada", seguiu.
 
Apesar da aparência até meio cinza clara, a pista não foi um fator que atrapalhou os pilotos nos treinos, segundo Sergey.
 
"A pista estava com bastante sujeira voando o tempo todo, mas nada que atrapalhasse na hora de guiar, deu para levar tranquilo", respondeu ao GRANDE PRÊMIO.
Lance Stroll quer chuva em Interlagos (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
Stroll foi bem mais breve em seus comentários, mas soube menos ainda projetar algo para a classificação. Para a corrida, no entanto, só se vê pontuando com a ajuda da chuva.
 
"Não foi um dia ruim. O pelotão intermediário está mesmo próximo, mas amanhã poderemos ver melhor o que dá para fazer, principalmente depois do TL3. A chance de pontuar talvez exista se chover no domingo", falou ao GP.

Sirotkin ficou em 17º no TL1 e em 16º no TL2. Stroll, enquanto isso, ocupou o 14º lugar na primeira atividade e o 18º na segunda.
 
O GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ o GP do Brasil de F1 com os repórteres Evelyn Guimarães, Felipe Noronha, Fernando Silva, Gabriel Curty, Juliana Tesser, Nathalia De Vivo e Pedro Henrique Marum, e o fotógrafo Rodrigo Berton. Acompanhe tudo aqui.