F1

Sob nova direção, Force India planeja contratar 125 funcionários para acelerar desenvolvimento do carro

Otmar Szafnauer, chefe da Force India, quer ver o número de funcionários passar da casa de 400 para 500 até 2020. O dirigente acredita que essa é a chave para agilizar o desenvolvimento do carro e brigar por objetivos maiores no futuro
Warm Up / Redação GP, de Berlim
 Esteban Ocon (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
A mudança de chefia da Force India, que passou das mãos de Vijay Mallya para Lawrence Stroll em agosto, trouxe uma nova postura frente ao desenvolvimento do carro. Com orçamento três vezes maior em 2019, a escuderia planeja contratar “umas 100 ou 125 pessoas” para reformular o processo de atualização e construção de novas peças.
 
A revelação vem através de Otmar Szafnauer, chefe da Force India. O dirigente acredita que os atuais 400 funcionários não bastam para extrair ao máximo o desenvolvimento de um carro ao longo do ano.
 
“Quando eu comecei na Force India, éramos uns 280 [funcionários]. Agora estamos acima de 400”, disse Szafnauer, entrevistado pelo site ‘RaceFans. “Eu consigo ver a gente subindo para 500 nos próximos dois anos, então vamos contratar umas 100 ou 125 pessoas. Sempre queremos fortalecer a equipe e sabemos as áreas que precisamos melhorar para realmente crescer. Vamos falar com muitas pessoas que estão disponíveis, mas vamos fazer isso de forma estratégica. Precisamos que isso [mais funcionários] aconteça em áreas que tragam rápido desenvolvimento do carro, é isso que vamos fazer nos próximos dois anos”, seguiu.
A Force India tem projeto grandioso para o futuro (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
A expansão do quadro de funcionários faz parte dos projetos ambiciosos da nova Force India. Internamente, o objetivo é alcançar a Red Bull para brigar pelo top-3 no Mundial de Construtores. Mais do que contratar novas pessoas, Szafnauer quer otimizar a estrutura dos funcionários, sem necessariamente investir muito dinheiro.
 
“Há algumas coisas que podemos fazer logo de cara, e estamos de olho nisso. Isso significa melhorar a comunicação para melhorar o tempo entre pensar em um conceito [de peça] e introduzir no carro. Queremos diminuir esse tempo. Outra coisa que precisamos muito fazer é conseguir ideias que vão tornar o carro mais rápido. Precisamos expandir nosso grupo de pessoas pensantes, ou como quer que você queira chamar, e também melhorar algumas ferramentas. Uma vez que você tenha feito isso, você fica mais confiante nos resultados das suas ferramentas e você consegue acelerar o desenvolvimento”, encerrou.
 
A Force India já confirmou a permanência de Sergio Pérez em 2019. O segundo piloto ainda não foi confirmado, mas tudo indica que Lance Stroll deixa a Williams para tomar a vaga de Esteban Ocon. Outra mudança é a de nome, já que o atual está em vias de ser abandonado.