Speed trap: confira velocidades máximas de cada piloto durante GP da Austrália, abertura da temporada 2018 da F1

A tabela das velocidades finais aferidas por cada piloto durante a corrida deste domino mostra um motor Renault bastante competitivo, uma Ferrari que priorizou o acerto para as curvas do circuito de Albert Park e o ainda existente déficit de performance da Honda. A marca mais veloz do domino foi registrada por Nico Hülkenberg: 319,7 km/h com sua Renault

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Etapa de abertura da temporada 2018 da F1, o GP da Austrália teve a Renault como a equipe de carro mais veloz na pista. Nico Hülkenberg foi o responsável por aferir a maior velocidade final da corrida deste domino (25) em Melbourne ao alcançar 319,7 km/h no fim da reta dos boxes. Carros empurrados por motor Renault e Mercedes ocuparam todo o top-5. E Brendon Hartley, com a Toro Rosso, ficou longe de mostrar boa performance com o novo motor Honda, ficando em último lugar na lista.

 
Além de Hülkenberg, sétimo colocado na prova, o único piloto a registrar velocidade na casa de 319 km/h durante a corrida foi Sergio Pérez, da Force India, que terminou em 11º. E Max Verstappen, sexto na corrida, completou a lista dos três primeiros ao aferir 318,6 km/h.
 
A relação de velocidades finais disponibilizada pela FIA (Federação Internacional de Automobilismo) mostra, além do trecho do speed trap, no fim da reta, também as divisões por intermediárias. A maior velocidade final no primeiro setor da pista de Albert Park ficou com Kimi Räikkönen, que passou no trecho a 285 km/h, o que mostra uma Ferrari melhor acertada para os trechos de curva do circuito.
Nico Hülkenberg foi o piloto que registrou a maior velocidade final neste domingo (Foto: Renault)
Na segunda parcial, mais rápida, a maior velocidade final foi registrada por Esteban Ocon, 304,9 km/h. E na linha de chegada, o mais veloz foi Valtteri Bottas, com 306,2 km/h em sua melhor passagem.
 
Mas tanto no registro dos três setores da pista como também do speed trap, há uma semelhança: a última posição é ocupada por um carro da Toro Rosso-Honda. No fim da reta dos boxes, Brendon Hartley não passou de 281,9 km/h, enquanto Pierre Gasly foi um pouco mais rápido — Hartley enfrentou problemas ao longo da corrida, enquanto o francês abandonou com uma falha de motor, no MGU-H — e assinalou 296,1 km/h.  
 
Gasly aferiu a mais baixa velocidade final dentre os 20 pilotos do grid nas duas primeiras parciais — 266,6 km/h e 286,3 km/h —, enquanto Hartley não passou de 279,4 km/h na reta dos boxes. Sinais que indicam que a Honda ainda vai ter de trabalhar muito para ser confiável e minimamente competitiva. O calvário vivido nos três últimos anos com a McLaren ainda continua na fábrica de Sakura.

F1 2018, GP da Austrália, Albert Park, speed trap: 

1   27 Nico HÜLKENBERG 319,7
2   11 Sergio PÉREZ 319,2
3   33 Max VERSTAPPEN 318,6
4   77 Valtteri BOTTAS 318,1
5   44 Lewis HAMILTON 315,8
6   16 Charles LECLERC 312,0
7   3 Daniel RICCIARDO 306,8
8   18 Lance STROLL 306,8
9   31 Esteban OCON 306,7
10   9 Marcus ERICSSON 305,6
11   35 Sergey SIROTKIN 300,1
12   14 Fernando ALONSO 298,5
13   2 Stoffel VANDOORNE 298,3
14   7 Kimi RÄIKKÖNEN 296,6
15   10 Pierre GASLY 296,1
16   5 Sebastian VETTEL 295,1
17   20 Kevin MAGNUSSEN 292,7
18   8 Romain GROSJEAN 291,7
19   55 Carlos SAINZ JR 290,9
20   28 Brendon HARTLEY 281,9
”RECOMEÇA A BRIGA”

MERCEDES COMEÇA TEMPORADA AINDA À FRENTE DA FERRARI

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube