Superado por Massa pela terceira vez seguida em classificações, Alonso iguala revés de 2007

Felipe Massa conquistou uma façanha digna de nota na sessão classificatória deste domingo (17) em Melbourne. Pela primeira vez desde que divide os boxes com Fernando Alonso, o brasileiro classificou-se à frente do companheiro de equipe por três vezes seguidas

O treino classificatório que definiu o grid de largada do GP da Austrália, neste domingo (17), evidenciou, além da supremacia de Sebastian Vettel, também a grande fase vivida por Felipe Massa. Em alta desde a segunda metade da temporada 2012, o único brasileiro do grid da F1 neste ano conseguiu a façanha de se classificar à frente de Fernando Alonso, bicampeão do mundo e considerado primeiro piloto na Ferrari, pela terceira vez consecutiva.

Quarto lugar no grid de largada do GP da Austrália, Massa registrou 1min28s480, apenas 0s003 mais rápido que Alonso, o quinto colocado no alinhamento inicial da primeira corrida deste ano na F1.

Em grande fase, Massa supera Alonso em classificações pela terceira vez seguida (Foto: Getty Images)

Nas duas últimas etapas de 2012, Felipe também registrou tempo melhor que o do espanhol nas sessões classificatórias. No GP do Brasil, Massa largou em quinto, duas posições à frente de Alonso, que lutava com Vettel pelo tricampeonato mundial no circuito de Interlagos.

Um fim de semana antes, o brasileiro cravou o sexto melhor tempo da classificação do GP dos Estados Unidos, em Austin, enquanto Alonso foi oitavo. Entretanto, a Ferrari fez uma manobra polêmica para fazer o asturiano largar do lado mais aderente da pista, reservado às posições ímpares do grid. Assim, a equipe rompeu o lacre do câmbio de Massa, que perdeu cinco colocações no grid e saiu em 11º, enquanto Fernando abriu a prova apenas no sétimo lugar.

A sequência negativa de Alonso remete a 2007, ano em que o espanhol travou uma das grandes rivalidades da história recente da F1 com o então novato Lewis Hamilton. Fernando, que havia chegado à McLaren como grande contratação da época após ter sido bicampeão do mundo pela Renault, começou bem sua jornada em Woking, mas amargou quatro corridas sendo batido pelo jovem britânico.

No Canadá, onde Lewis venceu pela primeira vez, ele largou na pole, enquanto Alonso partiu na segunda posição. Uma semana depois, no polêmico GP dos Estados Unidos, as posições de Montreal foram mantidas, com Hamilton à frente de Fernando. Naquela corrida, o espanhol esbravejou contra a equipe e pediu, sem sucesso, que Lewis abrisse caminho para que ele assumisse a ponta e vencesse em Indianápolis. Já no GP da França, Hamilton largou em segundo, enquanto Alonso foi o décimo colocado. E correndo em casa, o atual piloto da Mercedes novamente partiu na posição de honra do grid, enquanto o bicampeão do mundo foi o terceiro.

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube