Tempestade em Melbourne obriga FIA a adiar Q2 e Q3 do GP da Austrália para domingo pela manhã

Depois de o Q1 ter sido adiado em meia hora e o Q2 em mais 50 minutos, a FIA não teve outra alternativa a não ser transferir para domingo pela manhã a sequência da definição do grid de largada do GP da Austrália

 

Em decisão conjunta tomada pelos comissários da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) e o delegado Charlie Whiting, a direção de prova do GP da Austrália adiou para domingo (17), às 11h locais (21h de sábado, em Brasília) a sequência do treino classificatório da primeira etapa do Mundial de F1. A tempestade que despencou no circuito de Albert Park antes do início do Q2, além da falta de luz natural, obrigou a FIA a transferir, para a manhã de domingo, a definição do grid de largada em Melbourne.

O caos se instalou neste sábado e fez de refém pilotos, equipes, fãs, jornalistas, enfim, todos os envolvidos, direta ou indiretamente, com o GP da Austrália, primeira etapa da temporada 2013. Um verdadeiro temporal desabou em Melbourne logo no início do terceiro treino livre e permaneceu ao longo da tarde, quando estava prevista a realização do treino classificatório às 17h locais (3h de Brasília).

A definição do grid de largada foi adiada em 30 minutos, mas foi realizada nos seus 20 minutos programados. Entretanto, a chuva apertou ainda mais e colocou em xeque a segurança dos pilotos. Assim, a FIA não teve outra alternativa a não ser transferir, para domingo pela manhã, a sequência da classificação no circuito de Albert Park.

A tempestade em Albert Park obrigou a direção de prova a adiar classificação para domingo pela manhã (Foto: Getty Images)

Primeiro Q1 do ano caótico no asfalto molhado de Melbourne

Desta vez, a meteorologia acertou em cheio. Confirmando as previsões para a tarde deste sábado (16), em Melbourne, o ‘mundo simplesmente desabou’ na região do circuito de Albert Park. Para se ter uma ideia da força do temporal, a energia da sala de imprensa caiu cerca de uma hora antes do início da classificação, assim como o sinal ao vivo da emissora britânica Sky Sports.

Por conta da chuva torrencial, a direção de prova optou por adiar o início do primeiro Q1 da temporada 2013 por dez minutos. Neste intervalo, funcionários do circuito tentaram remover o excesso de água para fora da pista. Enquanto isso, o safety-car deixava os boxes para avaliar as condições do asfalto para autorizar ou não o treino. Por fim, a FIA comunicou que o início do Q1 fora novamente adiado em mais dez minutos, e, depois, outros dez minutos.

Depois de meia hora de adiamentos e avaliações da pista de Albert Park, finalmente o Q1 foi autorizado, com vários pilotos fazendo uma fila, puxada por Lewis Hamilton, no pit-lane, esperando o sinal verde para liberar a saída para a pista para os primeiros 20 minutos de treino no circuito australiano.

A pista estava encharcada e bastante traiçoeira. Logo, alguns pilotos, sobretudo os mais novatos, enfrentavam muitas dificuldades, como Giedo van der Garde, que bateu a frente do seu Caterham CT03. Mas os mais veteranos também sofreram com o asfalto molhado no início do Q1. Hamilton, que havia acabado de completar sua primeira volta rápida, rodou na saída da curva 2 e ficou parado alguns segundos, mas conseguiu retornar à caótica sessão classificatória.

Tempestade em Albert Park obrigou a FIA a adiar classificação do GP da Austrália (Foto: Getty Images)

Rosberg é quem se dava melhor na problemática pista de Albert Park e detinha o melhor tempo após dez minutos de Q1. Mas fato é que o circuito estava muito perigoso, e os acidentes continuavam. Massa perdeu o controle da sua F138, rodou e bateu de frente na barreira de pneus da curva 12, mas conseguiu voltar para os boxes para tentar reparar o carro antes de voltar para os minutos finais do primeiro segmento da classificação.

Entretanto, mesmo com o asfalto bastante encharcado, alguns pilotos conseguiam melhorar suas marcas. Foi o caso de Jean-Éric Vergne, da Toro Rosso, que avançou para a liderança ao marcar 1min46s339. Em seguida, foi a vez de Sebastian Vettel melhorar seu tempo e tomar a posição do jovem francês.

Restando cinco minutos para o fim do Q1, os pilotos ameaçados da eliminação trocaram pneus de chuva forte para intermediários. Esse foi o caso, por exemplo, das McLaren de Jenson Button e Sergio Pérez, que ocupavam o 15º e o 16º postos, respectivamente. O arriscado uso dos intermediários valeu demais para o britânico, que simplesmente pulou para a ponta ao marcar 1min45s192.

Massa também arriscou e foi bem-sucedido. Logo depois de a Ferrari ter trocado o bico do seu carro, o brasileiro voltou à pista com os intermediários e subiu para a segunda posição, logo atrás e Button e à frente de Hamilton e Vettel, terceiro e quarto colocados, na sequência. Mas nada ainda estava definido, já que as mudanças de posição eram constantes nos segundos finais do Q1.

No fim da primeira tomada de tempos, Rosberg acabou ficando com o melhor tempo ao registrar 1min43s380. Alonso foi o segundo, seguido por Grosjean, Pérez, Webber, Massa, Vettel, Button, Vergne e Räikkönen.

Entre os seis eliminados no Q1, quatro novatos: Pastor Maldonado, que não se encontrou na pista molhada de Albert Park, foi o único veterano fora do Q2 e integrou o grupo ao lado de Esteban Gutiérrez, que rodou e bateu forte no fim da sessão — e demorou bastante para sair do C32, causando certa estranheza —, Jules Bianchi, Max Chilton e a dupla da Caterham, de Giedo van der Garde e Charles Pic. Os dois jovens do time anglo-malaio também bateram no Q1.

Caos obriga direção de prova a adiar Q2 e Q3 para domingo pela manhã

Por conta da chuva que apertou muito no fim do Q1 e continuou depois do intervalo, a direção de prova repetiu o procedimento do início da classificação e adiou o início do Q2 em dez minutos. Depois de nova inspeção na pista, veio outra decisão: o treino foi novamente postergado em 20 minutos, com o Q2 previsto, então, para começar às 18h30, horário local. O maior problema, além da chuva, era a falta de luz natural, já que o pôr do sol se aproximava.

Não houve a menor possibilidade de a classificação ser completada neste sábado (Foto: Getty Images)

Após nova inspeção da pista, a direção de prova optou novamente pela prudência e adiou em mais 20 minutos o início do Q2, causando toda uma indefinição a respeito da sequência ou não do treino de classificação em Melbourne. Entretanto, por mais que pilotos e equipes estivessem se preparando para voltar à pista, a chuva apertava cada vez mais e trazia consigo a redução cada vez mais intensa da luz natural. Assim, não restou outra alternativa para a direção de prova.

Em decisão conjunta dos comissários da FIA e o delegado Charlie Whiting, a direção de prova do GP da Austrália adiou para domingo a sequência do treino classificatório da primeira etapa do Mundial de F1. A tempestade que despencou no circuito de Albert Park antes do início do Q2, além da falta de luz natural, obrigou a FIA a transferir, para a manhã de domingo, às 11h (21h de sábado em Brasília), a definição do grid de largada em Melbourne. Curioso é que a meteorologia aponta previsão de chuva exatamente para esse horário na Austrália.

Assim, disputarão o Q2 em Melbourne os seguintes pilotos: Sebastian Vettel, Mark Webber, Fernando Alonso, Felipe Massa, Jenson Button, Sergio Pérez, Kimi Räikkönen, Romain Grosjean, Lewis Hamilton, Nico Rosberg, Nico Hülkenberg, Paul di Resta, Adrian Sutil, Valtteri Bottas, Jean-Éric Vergne e Daniel Ricciardo.
 

Acompanhe a cobertura do GP da Austrália no GRANDE PRÊMIO
Victor Martins: O conclave da F1
Curta a página do Grande Prêmio no Facebook
Siga o Grande Prêmio no Twitter

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube