F1

Temporada de surpresas? Como as mudanças tendem a fazer de 2019 um campeonato histórico

Regulamento alterado e trocas de pilotos chacoalham apostas nos favoritos às corridas e ao título deste ano

Grande Prêmio / Editorial, de São Paulo
Em 17 de março, na Austrália, foi dada a largada para o 70º Campeonato Mundial de Fórmula 1 da FIA (Federação Internacional de Automobilismo). Durante mais de oito meses, pilotos e equipes participarão de 21 provas ao redor do globo, para delírio dos amantes do esporte. Além disso, no próximo dia 14 de abril, no GP da China, em Shangai, a Fórmula 1 vai comemorar seu milésimo Grande Prêmio.

Neste ano, a grande revisão do regulamento — com alterações que vão do aerofólio dianteiro ao peso mínimo do piloto, passando por dezenas de outros requisitos técnicos — vem gerando ansiedade nos bastidores. Será que a hegemonia de Mercedes e Ferrari estão ameaçadas?

É uma oportunidade para que engenheiros competentes interpretem as novas regras e tragam algo inovador e eficiente, a ponto de ajudar o seu time a melhorar a posição no grid.

Para os fãs da F1, o cenário deste ano é perfeito para mostrarem o quanto conhecem o esporte e até mesmo ganhar algum dinheiro ao prever o resultado das corridas. Os sites de apostas esportivas, como o RedBet, permitem que você escolha o vencedor do campeonato — tanto o de Pilotos quanto o de Construtores —, o vencedor de cada corrida ou mesmo a qualificação dos pilotos. É uma oportunidade de você mostrar que é expert nesse esporte. 
Daniel Ricciardo (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Como estão as equipes

A fase de apresentação dos carros já aconteceu e algumas escuderias chegaram com novidades. Ferrari e McLaren mostraram seus novos carros com transmissão ao vivo pela internet. Na McLaren, o modelo 2019 vem na cor laranja, seguindo as raízes da equipe e o tom adotado nos últimos anos. Já o novo carro da Ferrari homenageia os 70 anos da marca — que teve início junto com a própria F-1 — e é a maior aposta da escuderia para finalizar o jejum de dez anos sem títulos.

Mas é entre os pilotos que estão as principais mudanças.

A Mercedes mantém o favorito Lewis Hamilton e também Valtteri Bottas na busca de vencer pela sexta vez consecutiva o Mundial de Construtores e o de Pilotos. A escuderia ganhou 74 GPs nos últimos anos.

A Ferrari, que não vence o Mundial de Pilotos desde 2007 e o de Construtores desde 2008, aposta no talento do jovem Charles Leclerc, de 21 anos, que fará dupla com Sebastian Vettel.

A escuderia austro-inglesa Red Bull também traz dois jovens talentos formados em seu programa de treinamento: Max Verstappen, de 21 anos, e Pierre Gasly, de 23.

Já a McLaren é outra escuderia que trocou de pilotos e está apostando nos jovens. A nova dupla é formada pelo espanhol Carlos Sainz e pela revelação do automobilismo inglês, Lando Norris.

Fechando as mudanças mais importantes da temporada, a Alfa Romeo, que estava fora do circuito de F1 há 34 anos, entra no lugar da Sauber e tem como estrela da equipe o piloto mais experiente deste ano, Kimi Räikkönen, de 39 anos.

Desde o início da competição, no dia 13 de maio de 1950, no circuito de Silverstone, na Inglaterra, a Fórmula 1 já passou por inúmeras mudanças. Mas esse Mundial tem tudo para ser um ano histórico para os amantes do esporte.