F1

Temporal segue e promove curto desfile no fim do segundo treino em Spa. Kobayashi é o melhor da sexta

Com o tempo estabelecido pela manhã, Kamui Kobayashi foi o mais rápido desta sexta-feira (31) em Spa-Francorchamps. Felipe Massa e Bruno Senna pouco puderam fazer no primeiro dia de treinos na Bélgica
Warm Up / FERNANDO SILVA, de Sumaré

► Quer concorrer a 2 prêmios da Mercedes? Participe já da promoção


Se fosse futebol, seria possível dizer que tudo acabou como começou. A forte chuva que desabou em Spa-Francorchamps nesta sexta-feira (31) ficou ainda mais intensa no período da tarde. Junto com o frio, com temperatura do ar na casa dos 11ºC, e o forte vento, não havia condições para um treino de F1 transcorrer de maneira normal. Apenas nos últimos minutos, e com voltas lentas demais para os padrões da F1, dez pilotos registraram tempos cronometrados. E para estampar de maneira mais evidente o quanto o dia foi caótico, o mais rápido — ou o menos lento — foi Charles Pic, da Marussia, que anotou 2min49s354, com Daniel Ricciardo em segundo e Fernando Alonso em terceiro.

No fim das contas, Kamui Kobayashi, com o tempo registrado pela manhã — 2min11s389 —, ficou com a melhor marca do dia na Bélgica, após 20 voltas completadas. Em termos de quilometragem, Bruno Senna e Narain Karthikeyan ficaram prejudicados, já que não treinaram pela manhã e só tiveram a caótica tarde para completar algumas parcas voltas. De qualquer forma, acabou sendo um treino pouco produtivo para todos os pilotos do grid.

A chuva foi a protagonista da sexta-feira (31) em Spa-Francorchamps (Foto: Red Bull/Getty Images)

Felipe Massa também teve um dia pouco produtivo e não marcou tempo, nem na manhã e nem à tarde. O brasileiro foi um dos nove pilotos — ao lado de Nico Rosberg, Michael Schumacher, Heikki Kovalainen, Lewis Hamilton, Nico Hülkenberg, Sebastian Vettel, Jenson Button e Bruno Senna — a deixar os boxes, mas, por conta das condições da pista, não fez nada além de algumas voltas de instalação.

Muita chuva, frio e vento forte. Clima nada propício para a prática do automobilismo. O clima em Spa-Francorchamps, que já não era nada agradável, ficou pior durante a tarde, quando chegou a fazer 11ºC de temperatura do ar. A torcida, nas arquibancadas, não arredou o pé e demonstrava uma ponta de esperança em poder ver carros na pista no tradicional circuito belga. Mas nos boxes imperava o silêncio do ronco dos motores, graças ao temporal que insistia em dar as cartas em Spa.

O que imperava, nos boxes, eram as conversas animadas entre pilotos, engenheiros e dirigentes. Contudo, por conta da forte chuva que dava o tom do segundo treino livre, as esperanças em ver um carro na pista eram, naquele momento, bastante remotas. Alguns fãs do automobilismo, cansados de esperar, começavam a deixar as arquibancadas após a primeira hora de treino.

Massa completou apenas quatro voltas nesta sexta-feira em Spa-Francorchamps (Foto: Ferrari)

Uma vez que há a previsão meteorológica de tempo seco para o restante do fim de semana — se bem que, em Spa, as previsões nunca são muito exatas —, as equipes optaram por não treinar, pelo menos naquele momento, porque, em teoria, completar algumas voltas com o asfalto belga encharcado seria pouco produtivo para sábado e domingo, quando realmente pesa mais o acerto e a consistência do carro.

Quando o cronômetro marcava 49 minutos de treino, finalmente um carro deixou os boxes e se aventurou no asfalto encharcado de Spa-Francorchamps: Nico Rosberg. O alemão, no entanto, completou apenas uma volta de reconhecimento da pista, em condições críticas, e retornou para os pits. Na sequência, Heikki Kovalainen e Michael Schumacher também deixaram os boxes.

Schumacher, talvez a grande estrela do fim de semana, por conta do fim de semana do seu 300º GP, fez seu ‘desfile’ com o carro da Mercedes em Spa, mas, sempre antes de abrir uma volta cronometrada, o heptacampeão recolhia aos boxes da escuderia alemã para fazer ajustes aqui e ali. Na sequência, foi Hamilton, último vencedor da F1, na Hungria, quem deixou os boxes para dar suas primeiras voltas na tarde, assim como Hülkenberg e Vettel, que conquistou o GP da Bélgica do ano passado.

Pouco depois, foi a vez de Jenson Button e Felipe Massa deixarem os boxes. Mas apenas para a realização de voltas de instalação, sem tentativa de buscar um tempo cronometrado. Faltando oito minutos para o fim do treino, finalmente Bruno Senna conseguiu dar a sua volta, mas, a exemplo dos outros pilotos que se aventuraram em Spa, o brasileiro da Williams voltou para os boxes em seguida, retornou para a pista, mas não cravou tempo.

Charles Pic na ponta do treino desta tarde em Spa é reflexo do dia caótico causado pela chuva (Foto: Marussia)

No fim do treino, foi a vez de Pastor Maldonado, Timo Glock, Sergio Pérez, Charles Pic, Fernando Alonso, Jean-Éric Vergne, Paul di Resta e o mais rápido do dia, Kobayashi, darem algumas voltas na encharcada Spa. Mas todos, sem exceção, voltaram para os boxes em seguida.  De maneira estranha, a cronometragem só exibiu os tempos de volta após três minutos do término da sessão. As marcas, altíssimas, indicaram Pic, da Marussia, como o mais rápido da sessão desta sexta-feira.

Os tempos foram validados, segundo o Grande Prêmio apurou em Spa-Francorchamps, mas certamente alguns deles foram feitos depois do cronômetro zerado - como a câmera on-board no carro de Alonso, terceiro colocado, mostrou no fim da transmissão. Cerca de meia hora após o término do treino, a FIA (Federação Internacional de Automobilismo) confirmou o resultado exibido pela cronometragem, com Pic sendo o mais rápido da segunda sessão desta sexta-feira.

Leia também:

 A análise completa da temporada 2012 da F1 e a previsão de Flavio Gomes para o restante do Mundial na REVISTA WARM UP. Clique aqui

F1, GP da Bélgica, Spa-Francorchamps, treino livre 2: