Terceiro no campeonato, Alonso volta a rogar azar para Vettel: "Isso virá para todos. Para ele também"

Líder do Mundial de 2013, piloto da Red Bull ainda não abandonou nesta temporada e segue como o mais regular do ano, encerrando todas no top-4. No entanto, comparando com 2012, ferrarista crê que má fase ainda virá para seu rival: "Estamos fazendo melhor neste ano. O que está fora são os pontos que Sebastian marcou nestas seis corridas"

 
Fernando Alonso sabe que além do talento, um piloto também precisa da famosa 'sorte de campeão' para conquistar vitórias e títulos. Estar no lugar certo e na hora certa sempre ajuda. Por mais subjetivo que seja este conceito, o fato é que muitos Mundiais foram decididos de forma quase sobrenatural, com alguns eventos improváveis ocorrendo tanto para o vencedor quanto para o derrotado.
 
Duas vezes campeão do mundo e duas vezes vice, o espanhol acredita firmemente nisso. E nesta quinta-feira (6), em Montreal, o piloto da Ferrari voltou a afirmar que a maré negra na trajetória de Sebastian Vettel em 2013 ainda está por vir.
 
Alonso exemplificou a tese relembrando não só os próprios azares na Malásia e no Bahrein como também a falta de sorte de Kimi Räikkönen no GP de Mônaco, quando o finlandês perdeu pontos preciosos ao ser atingido por 'El Pibe Loco' Sergio Pérez.
Fernando Alonso, o mandingueiro de Oviedo (Foto: Getty Images)
As imagens da quinta-feira da F1 em Montreal
AMK Viagens lança pacote especial para GP da Itália em Monza
Automobilismo na TV: a programação do fim de semana

"Os azares nas corridas virão para todos. Para ele também", afirmou, enfático, o bicampeão. "Veio para Kimi em Mônaco, com o acidente, e nós estamos agora apenas oito pontos atrás dele. Isso também virá para Sebastian", rogou.

 
"Nossa equipe teve muito azar nas situações enfrentadas neste ano. Vimos muita gente tocar na primeira curva, como em Barcelona, quando [Lewis] Hamilton e Vettel se tocaram e nada aconteceu. Mas na Malásia, toquei a parte de trás de seu carro e ficamos fora da corrida, o que foi muita falta de sorte."
 
"O DRS não abre algumas vezes, mas ele não fechar, nunca havia acontecido. Também tivemos um pouco de azar no Bahrein", relembrou.
 
"Em Mônaco, não marcamos tantos pontos, então precisamos de quatro ou cinco corridas consecutivas no pódio ou perto disso para recuperar alguns dos pontos que perdemos. Neste fim de semana, temos que marcar bons pontos."
 
Alonso também fez um comparativo com a temporada 2012. No ano passado, passadas seis rodadas, o mandingueiro de Oviedo liderava a classificação do Mundial de Pilotos com 76 pontos. Hoje, na mesma situação, tem 78, mas quem lidera é Vettel, com 107.
 
O alemão, por sinal, é o piloto mais regular do grid até o momento, com duas vitórias, um segundo lugar, um terceiro e dois quartos. Em 2012, o piloto da Red Bull tinha apenas 73 pontos e já contava com um abandono, na Malásia.
 
"Temos dois pontos a mais que no ano passado, quando estávamos liderando o campeonato. Então, de certa forma, estamos fazendo melhor. O que está um pouco fora, no momento, são os pontos que Sebastian marcou nestas seis corridas", completou.
 
O GP do Canadá ocorre neste domingo (9). 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube