F1

Titular novamente, Kubica vê teste da Pirelli em Abu Dhabi como “crucial” para Williams em 2019

Robert Kubica voltou de vez ao cockpit da F1 como parte do grid. E a primeira meta já é fundamental para 2019, segundo ele: entender os novos pneus durante os dias de testes coletivos da F1 em Abu Dhabi. E Kubica aprovou o primeiro dia
Warm Up / Redação GP, do Rio de Janeiro
 Robert Kubica (Foto: AFP)
Confirmado como titular novamente na F1, Robert Kubica voltou ao carro neste meio de semana para as sessões de teste de pós-temporada, organizados pela Pirelli, em Abu Dhabi. Os testes com pneus que serão utilizados no ano que vem são, segundo o piloto polonês, fundamentais para que a Williams renasça em 2019.
 
Kubica, que antes de Abu Dhabi não guiava o carro da Williams desde a Áustria, no último mês de junho, não quis tratar de expectativas com o carro ou a temporada para 2019, mas bateu o martelo de que entender o comportamento dos novos pneus é um fator preponderante na recuperação da equipe de Grove. Mesmo que o carro seja bastante diferente em relação ao que vai para a pista no ano que vem.
 
"Ainda é cedo para ter expectativas. Preciso fazer nosso trabalho, que começa aqui, avaliando os pneus da Pirelli", afirmou.
 
"É um teste crucial, então temos que focar nisso, tentar entender bem [os pneus] e tirar o máximo de informação possível. Claro que os carros serão diferentes no ano que vem, mas os pneus são parte crucial da F1 atual, então essa bateria de testes é muito importante. Por isso temos que ficar focados e fazer nosso trabalho. Montamos um programa sólido", disse.
Robert Kubica (Foto: Williams F1)
Após terminar o primeiro dia de testes, na última terça-feira (28), com o nono tempo geral e 32 voltas anotadas, aprovou o que viu.
 
"Foi um caminho longo, mas tínhamos um programa e completamos. Claro que foi mais direcionado para o ano que vem, então tentamos simular e coletar informação sobre o que pode acontecer, e é importante para nós que saibamos isso antes do fim de ano", comentou. 
 
"Foi um bom teste, do ponto de vista de testes. Do ponto de vista do piloto foi complicado: quatro meses sem guiar o carro... Mas a sensação foi boa", encerrou.
 
Os treinos continuam nesta quarta-feira, e Kubica ficou na décima e última posição na sessão da manhã: 39 voltas foram dadas. O que chamou a atenção foi a distância do polonês para o resto dos pilotos com voltas lançadas: cerca de 3s8 mais lento que o nono, Antonio Giovinazzi, da Sauber.