Tribunal da FIA crê que Mercedes, ainda que não intencionalmente, obteve "vantagem injusta" em teste

Embora a sanção tenha sido menor do que o esperado, o Tribunal Internacional da FIA considerou que a Mercedes obteve, ainda que não intencionalmente, uma "vantagem esportiva injusta" com o teste secreto realizado com a Pirelli em Barcelona

A Mercedes ganhou uma "vantagem esportiva injusta" com o uso do carro de 2013 no teste secreto que realizou com a Pirelli em Barcelona, afirmou a nota do Tribunal Internacional da FIA, nesta sexta-feira (21). A entidade, entretanto, entende que a intenção original não foi a de tirar proveito do treino.

Depois de ouvir a equipe alemã e a fabricante italiana no julgamento do caso na última quinta-feira, o Tribunal apenas repreendeu ambas as empresas e vetou a participação do time nos testes de novatos. Os juízes, no entanto, explicaram que entenderam que a escuderia chefiada por Ross Brawn agiu de boa fé, mas que isso não escondeu o fato de que o Regulamento Esportivo foi quebrado.

O Tribunal viu vantagem da Mercedes em teste com Pirelli (Foto: Getty Images)

O Tribunal ainda argumentou, para justificar o veredito dado nesta sexta-feira (21), que a equipe e a fornecedora, embora tenham consultado a FIA sobre a possibilidade do uso de um carro atual no teste de pneus, não seguiram adequadamente as condições estabelecidas pela federação máxima. Mas, ainda em nota, o Tribunal se mostrou convencido de que não houve uma intenção deliberada de nenhuma das partes em violar as regras.

"O teste de pista, que é o objeto do presente recurso, não foi realizado pela Pirelli ou pela Mercedes com a intenção de se obter vantagem alguma para a equipe", afirmou o comunicado. "Nem a Pirelli e nem a Mercedes agiram de má fé em momento algum. Ambas discutiram com a FIA ao menos uma vez sobre o que pretendiam fazer nos testes e tentaram obter uma permissão. E a Mercedes não tem razão alguma para acreditar que tal aprovação tenha sido dada", completou.

O comunicado também lembrou o papel da Pirelli no episódio, afirmando que as demais equipes não foram convidadas para o teste, e que isso também colocou a Mercedes em um cenário de vantagem com relação às rivais. "A Mercedes obteve algum benefício como resultado dos testes, o que, ao menos potencialmente, provocou uma vantagem esportiva injusta, com conhecimento e intenção da Pirelli."

"À luz dos dados que a Pirelli, de fato, passou para a Mercedes de forma confidencial em um e-mail, fica claro que era a intenção passar algumas informações para a equipe, o que a Pirelli considera ser expressamente de grande importância, mesmo que, como nós aceitamos, era algo limitado, pois a Mercedes não tinha conhecimento dos pneus. Portanto, a Mercedes e a Pirelli violaram o regulamento", encerrou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube