Último, Kubica reclama: “Não é divertido ser 1s mais lento que meu companheiro”

Robert Kubica voltou a ter um GP da Áustria difícil, ficando consideravelmente atrás do companheiro George Russell. Mesmo assim, o polonês definiu como “estúpida” pergunta sobre permanência no grid até o fim de 2019

Robert Kubica segue sem vida fácil na Fórmula 1. O piloto polonês teve um GP da Áustria dos mais difíceis, terminando em último e sendo consideravelmente mais lento do que o companheiro de Williams, George Russell. Dessa vez, Robert disse que o alto desgaste de pneus foi culpado, impedindo algo melhor do que terminar em 20º e último, três voltas atrás do vencedor.
 
“Não é como se eu não estivesse tentando”, disse Kubica. “Quando eu tento de tudo, começo a derrapar e destruo os pneus. Se não tivermos nada de novo em Silverstone, vai ser tudo igual. Pilotar 1s mais lento do que meu companheiro não é muito divertido”, seguiu.
Robert Kubica não conseguiu fazer muito no GP da Áustria (Foto: Williams)

Russell, mesmo que sem conseguir brilhar com o carro da Williams, teve atuação um tanto melhor. Largando do pit-lane, o britânico cruzou a linha de chegada em 18º, na frente de Kevin Magnussen, e ‘só’ duas voltas atrás do vencedor. Na temporada, George terminou oito das nove corridas na frente de Robert.

 
A situação já traz perguntas sobre a permanência de Kubica na Fórmula 1. Questionado pela imprensa sobre as chances de terminar a temporada 2019 ainda empregado, o polonês retrucou: “Você que me diz, porque eu não terminaria essa temporada? Pergunta estúpida, resposta estúpida”.
 
Kubica, último no Mundial de Pilotos, volta à pista em duas semanas. O próximo compromisso do polonês na F1 é o GP da Inglaterra, dentro de duas semanas.

Paddockast #23
Lágimas em Le Mans

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube