F1

“Uma pena que tudo acabe assim”: Vettel se despede de Alonso, mas sem certeza “de que ele não vai voltar”

Sebastian Vettel teve em Fernando Alonso um grande rival na luta pelos títulos de 2010 e 2012, os dois vencidos pelo alemão. Às vésperas da despedida do bicampeão mundial, o piloto da Ferrari deixou no ar que não acredita na sua aposentadoria definitiva da F1
Warm Up / Redação GP, de Sumaré
 Sebastian Vettel e Fernando Alonso lutaram pelo título em 2010 e 2012 na F1 (Foto: AFP)

Sebastian Vettel está prestes a ver o adeus de um dos seus grandes adversários na F1. Neste domingo, em Abu Dhabi, Fernando Alonso vai fazer aquela que pretende ser sua última corrida no Mundial. Os dois travaram grandes batalhas na luta pelos títulos de 2010 e 2012, que foram conquistados pelo alemão. Seb, contratado pela Ferrari para ser o substituto de Alonso, em 2015, brincou ao dar a entender que não acredita que a aposentadoria do espanhol na categoria seja definitiva. Por outro lado, em tom mais sério, lamentou por ver Alonso deixando a F1 em baixa.
 
Em entrevista à emissora espanhola Movistar F1, Vettel brincou sobre o fim da carreira de Alonso na F1 e indicou que espera pelo retorno do bicampeão.
 
“Mas ele não vai voltar? [risos]. O que ele falou quando vocês perguntaram se ele iria voltar? ‘Quem sabe’. É o que ele disse. Exatamente. Bem, adeus por enquanto, mas não tenho certeza de que ele não vai voltar”, afirmou Seb.
Sebastian Vettel lamentou pela forma como Alonso está deixando a F1 (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
“Durante os últimos anos, acho que ele sentiu falta de estar na frente. Tivemos boas batalhas durante anos e é uma pena que tudo acabe assim, mas desejo o melhor a ele no seu futuro”, acrescentou o tetracampeão.
 
Alonso, por sua vez, não fechou a porta para um eventual retorno à F1 em breve, mas, no momento, trata o GP de Abu Dhabi como sua despedida.
 
“Bem, vamos ver. Por enquanto, é a ideia que tenho na minha mente, mas tampouco sei como vou me sentir no ano que vem. Quando estiver descansando ou vendo a F1 pela TV depois de tantos anos, vai que não aguente estar no sofá e tente voltar no ano que vem. Mas não é a ideia atualmente, a ideia é que seja a última corrida, agradecer por tudo o que a F1 me deu e virar a página”, disse.
 
A Ferrari também vive um clima de despedida. Kimi Räikkönen vai fechar seu segundo ciclo pela escuderia de Maranello no fim desta temporada para voltar à Sauber em 2019. Seb vai ter ao seu lado o jovem Charles Leclerc, um dos grandes destaques da temporada. O alemão evitou traçar previsões sobre como vai ser o relacionamento com o monegasco.
 
“Eu tentei bater Kimi, e ele a mim, você sempre tenta vencer seu companheiro de equipe. Obviamente, Charles é diferente de Kimi, então vamos ver como vai ser. A equipe o conhece bem, Charles cresceu na Academia da Ferrari, de modo que estou feliz por ele. Vamos ver como vai ser entre nós dois”, concluiu.