Bottas diz que início difícil de 2021 testou força mental: “Creio plenamente em mim”

Valtteri Bottas reconheceu o complicado começo de temporada, com dois abandonos em cinco corridas disputadas, mas deixou claro: “A opção do perdedor é desistir, e isso é algo que não vou fazer”

Castroneves passou Palou para vencer a Indy 500 (Vídeo: NBC)

O começo da temporada 2021 da Fórmula 1 tem, verdadeiramente, testado a força mental de Valtteri Bottas. Longe de qualquer batalha pela vitória, em que pese a conquista da pole-position em Portugal, o finlandês amargou dois abandonos em cinco corridas disputadas neste princípio de campeonato com a Mercedes. E quando tudo dá errado, até o voo atrasa, o que fez Valtteri ficar por mais de cinco horas e meia em aeroporto da Finlândia, que o fez praticamente perder a quinta-feira (2) de trabalhos de preparação para o GP do Azerbaijão, em Baku.

À distância, Bottas concedeu entrevista coletiva nesta manhã e falou justamente sobre o começo complicado em 2021. “Definitivamente, a força mental foi testada no início da temporada. Não é a forma mais fácil para começar, com dois abandonos. Diria que houve alguns contratempos, e tudo é sobre como você se recupera em cima deles e como você segue em frente”, disse.

Mesmo diante de uma situação das mais difíceis, tendo pela frente também um futuro incerto na Mercedes — seu contrato vence no fim do ano —, Bottas reforçou o discurso de confiança e aposta na volta por cima.

LEIA TAMBÉM
Com domingo histórico, GRANDE PRÊMIO registra recorde de audiência em maio

Valtteri Bottas vive um começo de temporada 2021 em que praticamente nada dá certo (Foto: Mercedes)

Conheça o canal do Grande Prêmio no YouTube.
Siga o Grande Prêmio no Twitter e no Instagram.

“A opção do perdedor é desistir, e isso é algo que eu não vou fazer. Portanto, ainda sou muito forte mentalmente e sei que há uma temporada muito longa pela frente, com certeza, com muitas boas batalhas pela frente e, com muita sorte, com muitas vitórias. Portanto, acredito plenamente em mim e em nós como equipe, ainda temos tempo para fazer coisas boas”, comentou.

O piloto foi perguntado sobre a reação de Toto Wolff, que o culpou parcialmente pelo problema no pit-stop no GP de Mônaco, que por sua vez resultou no abandono precoce na corrida. Segundo o dirigente austríaco, Valtteri parou centímetros antes da zona demarcada para a parada para troca de pneus, e isso também contribuiu para o problema ao soltar a roda dianteira direita.

O procedimento só foi concluído mais de 40 horas depois, em Brackley, na sede da Mercedes. “Sim, sim, fiquei surpreso. Vi o vídeo e, para mim, estava bom no local onde parei. Então, sim, fiquei bem surpreso”, declarou Valtteri, garantindo que não ficou tão fora assim do espaço delimitado. “Acho que estava uns 2 ou 3 cm fora da linha central. Se você consegue essa precisão, é muito bom”.

Vencedor na última edição do GP do Azerbaijão, em abril de 2019, Bottas se mostrou feliz por poder voltar a acelerar em Baku. “É uma pista que gosto. As corridas sempre são boas em Baku. Houve algumas corridas bem empolgantes na história [da F1 lá], então estou bem ansioso”.

Mesmo ciente da forte concorrência que a Mercedes pode ter no fim de semana, Valtteri acredita em mais um triunfo para a equipe prateada nas ruas da capital azeri neste fim de semana. “Certamente, a competição é dura, como vimos em Mônaco, com Red Bull e a Ferrari extremamente rápidas e algumas outras equipes também não muito longe. Mas é um outro circuito de rua, certamente mais rápido do que Mônaco, então não vejo motivo para não podermos vencer. Mas precisamos fazer um trabalho perfeito para chegar lá”, finalizou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar