F1

Van der Garde aciona justiça australiana contra Sauber para tentar disputar abertura do Mundial de F1

Na semana do GP da Austrália, o holandês Giedo van der Garde entrou com uma ação na justiça australiana para tentar conquistar o direito de correr pela Sauber. Equipe conta com o brasileiro Felipe Nasr e o sueco Marcus Ericsson em 2015

Warm Up / VICTOR MARTINS, de São Paulo
De acordo com informações que foram veiculadas na imprensa australiana, a equipe Sauber está sendo processada no país pelo holandês Giedo van der Garde na semana do GP da Austrália.
 
Reserva da escuderia na temporada passada, Van der Garde acredita que tem direito a um lugar de titular no time. Segundo o jornal 'The Australian', a confirmação de que isso ocorreria lhe foi dada em 28 de junho de 2014.

O piloto tenta conseguir uma audiência com urgência na Suprema Corte do estado de Vitória, onde fica a cidade de Melbourne, na segunda-feira que antecede a abertura da temporada 2015.
Giedo van der Garde está acionando a justiça contra a Sauber (Foto: Sauber)
“No começo de novembro de 2014, Van der Garde foi informado pela diretora-executiva da Sauber, Monisha Kaltenborn, que as duas vagas da Sauber haviam sido entregues para outros pilotos e que, consequentemente, Van der Garde não teria lugar como piloto no time em 2015. O réu recebeu ordens para não tomar nenhuma atitude com o efeito de impedir Van der Garde de seu direito de correr em 2015 como um dos dois pilotos titulares da Sauber”, dizem os documentos entregues pelos advogados do piloto à justiça da Austrália.
 
Van der Garde foi titular da Caterham em 2013 antes de assinar para ser reserva na Sauber no ano passado. Em 2015, o posto de reserva pertence ao italiano Raffaele Marciello. Os titulares da Sauber para o novo campeonato são o brasileiro Felipe Nasr e o sueco Marcus Ericsson.

Por meio de nota na noite de quinta-feira, a Sauber se manifestou e disse que vai tomar "todas as medidas necessárias" para proteger seus interesses e garantir que correrá no GP da Austrália conforme planeja desde o mês de novembro, com Nasr e Ericsson.

O GRANDE PRÊMIO entende que a Sauber trata a situação de Van der Garde do mesmo modo que a de Adrian Sutil meses atrás, quando o piloto ameaçou reivindicar seus direitos pelo contrato assinado por duas temporadas — a segunda seria a de 2015.

A base da Sauber é a de que Van der Garde não cumpriu à risca os pagamentos que deveria fazer. No popular, o holandês atrasou as parcelas e deu brecha para que a equipe procurasse outros pilotos, como acabou acontecendo com Nasr e Ericsson.

A chefe Monisha é advogada por formação acadêmica.