Verstappen baixa tom ao cumprir na FE serviço comunitário por empurrão em Ocon: “Foi construtivo”

Max Verstappen cumpriu neste sábado (12) a punição por ter agredido Esteban Ocon no GP do Brasil, em 2018. A FIA fez o holandês acompanhar o trabalho dos comissários de prova em Marrakech, na segunda etapa da FE em 2018/19, e comentou após a corrida o que observou

Se após agredir Esteban Ocon no GP do Brasil de 2018 não poupou palavras para criticar o adversário, Max Verstappen baixou o tom neste sábado (12), quando cumpriu a punição ordenada pela FIA durante o eP de Marrakech, segunda etapa da atual temporada da Fórmula E.

Ele foi obrigado a cumprir a pena de serviço comunitário ficando, durante a corrida, na sala dos comissários responsáveis pelo eP no Marrocos. E, após a corrida, comentou de forma tranquila o que observou.

"Foi interessante ver o trabalho do outro lado, normalmente você não passa um dia inteiro com os comissários. Todo fazem seu trabalho durante um final de semana de corrida, então foi bom ver o que faz com quem tomem importantes decisões. Às vezes a decisão pode não ser boa para certo piloto, mas tem que ser tomada e você segue as regras", disse o holandês.

Max Verstappen em Abu Dhabi 2018 (Foto: Red Bull Content Pool)

"Eu acho que foi uma boa experiência, experimentar outras coisas no automobilismo além de apenas sentar em um carro. Estar aqui e fazer esse tipo de trabalho foi construtivo para mim", completou.

Verstappen ainda comentou sobre como foi assistir de perto, pela primeira vez, uma corrida da FE: "Claro que já tinha assistido pela TV, mas nunca havia estado no paddock e aproveitei o dia."

"Primeiramente, é uma corrida animada. O campeonato está crescendo e há muitas fábricas aqui, então acredito que seja uma série bacana", finalizou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube