Verstappen elogia Honda e fala em evitar punições por troca de motor em 2020

De acordo com Max Verstappen, as punições de 2019 foram, em grande parte, decisões estratégicas num motor Honda que crescia em doses cavalares. Agora, em 2020, a meta é evitar as punições, uma vez que o motor japonês já não começa tão atrás dos rivais

O plano da Red Bull e da Honda é não tomar punições por trocas de motor ao utilizar uma quantidade excedente àquela autorizada durante a temporada 2020. Parece óbvio, mas não foi o que aconteceu ano passado, quando as mudanças excessivas foram causadas pela sequência de atualizações agressivas na unidade de força que representavam ganhou importante em potência. Em 2020, a meta é garantir a resistência.
 
Quem falou sobre o assunto foi Max Verstappen. De acordo com o holandês, o trabalho realizado foi para que cada parte do motor dure as sete etapas necessárias para chegar ao GP de Abu Dhabi, em dezembro, sem exceder o limite de três componentes cada.
 
"Ano passado, nós tomamos penalizações porque tínhamos atualizações significativas. Essa era a razão para que trocássemos os motores. Neste ano, tentaremos não levar essas punições. Até agora, o motor funciona com tranquilidade, sem problemas e tudo parece muito bom. Em termos de quilometragem, tudo vai bem. Durante a intertemporada, trabalhamos para fazer com os que motores durem as sete etapas necessárias", afirmou.
Max Verstappen (Foto: Getty Images/Red Bull Content Pool)
Outra preocupação de Verstappen é uma que tem aparecido bastante nas declarações dos pilotos: a dificuldade de perseguir os outros carros por conta da queda de downforce. Segundo Max, é impossível.
 
"É ótimo fazer bons tempos de volta, mas eu prefiro boas corridas, para ser sincero. Os carros são incríveis de guiar, extremamente rápidos. Vamos quebrar recordes de voltas, mas, quando você está na captura de alguém e seguindo outro carro, é impossível. A queda de downforce é grande e todos os anos os carros ficam mais rápidos, então piora cada vez mais. Para o ano que vem, os carros não serão tão divertidos de guiar, mas somente espero que as corridas sejam melhores", finalizou. 
 

O GRANDE PRÊMIO cobre AO VIVO, em TEMPO REAL e ‘in loco’ os testes de pré-temporada da F1 em Barcelona com o repórter Vitor Fazio. Siga tudo aqui.
 

Paddockast #49
RAÍ CALDATO: O ARTISTA PREFERIDO DE LEWIS HAMILTON

Ouça: Spotify | iTunes | Android | playerFM

Apoie o GRANDE PRÊMIO: garanta o futuro do nosso jornalismo

O GRANDE PRÊMIO é a maior mídia digital de esporte a motor do Brasil, na América Latina e em Língua Portuguesa, editorialmente independente. Nossa grande equipe produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente, e não só na internet: uma das nossas atuações está na realização de eventos, como a Copa GP de Kart. Assim, seu apoio é sempre importante.

Assine o GRANDE PREMIUM: veja os planos e o que oferecem, tenha à disposição uma série de benefícios e experiências exclusivas, e faça parte de um grupo especial, a Scuderia GP, com debate em alto nível.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube