Verstappen lamenta atraso causado por vazamento de óleo e mata papo sobre pole: “Não temos chance”

Max Verstappen não acredita que a Red Bull possa disputar a pole-position para o GP o Brasil. É simples assim, com o direto piloto holandês. Ademais, lamentou o problema que atrasou sua participação no segundo treino livre e elogiou o carro sob condições de ritmo de corrida

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

O primeiro dia de atividades de pista da F1 em Interlagos, esta sexta-feira (9) começou com Max Verstappen liderando o TL1 e depois tendo problemas e demorando a aparecer no TL2. No fim das contas, o balanço é pragmático. O holandês não acredita que a Red Bull tenha condições de brigar pela pole-position.

 
Verstappen nem deu muita importância para o que aconteceu na sessão inicial, apenas disse que o carro estava equilibrado. O vencedor do último GP do México comentou que foi um vazamento de óleo o culpado por atrasar o dia do #33.
 
"Tivemos um problema de vazamento de óleo, e isso nos tirou algum tempo. Foi um programa que acabou apressado, então não foi ideal", explicou. em entrevista acompanhada pelo GRANDE PRÊMIO.
Max Verstappen (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Apesar da dificuldade, gostou do que teve em mãos. A abordagem, entretanto, é bastante prática: pensar em pole no Brasil seria um devaneio.

 
"O carro estava muito bom. Desde o começo do dia estava equilibrado. Podíamos melhorar ainda mais o equilíbrio no segundo treino livre, mas não tivemos tempo para mudar nada. Estou bem confiante de que amanhã vamos ter um bom carro", garantiu.
 
"O TL2 não reflete a classificação, mas mesmo assim não acho que temos chances [de pole-position]. Por outro lado, o ritmo de corrida foi bem bom. Então parece que temos condições de nos sair melhor que no ano passado [quando foi quinto colocado]", falou. 
 
"Questionado sobre o que pensa que quer dizer quando afirma que "não tem chances" na classificação, explicou. "Provavelmente quinto e sexto, como time." 

GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ o GP do Brasil de F1 com os repórteres Evelyn Guimarães, Felipe Noronha, Fernando Silva, Gabriel Curty, Juliana Tesser, Nathalia De Vivo e Pedro Henrique Marum, e o fotógrafo Rodrigo Berton. Acompanhe tudo aqui.

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

 

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube