F1

Verstappen se conforma em largar atrás de Ferrari e Mercedes e só vê tática como chance de avanço

Max Verstappen ficou satisfeito com o desempenho da Red Bull na classificação deste sábado (10). O piloto falou que o quinto lugar foi positivo para o time, mas reconheceu que vai ser difícil conseguir bater Mercedes e Ferrari apenas com o ritmo de corrida na pista
Warm Up, de São Paulo / NATHALIA DE VIVO, de Interlagos / JULIANA TESSER, de Interlagos
 Max Verstappen (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)

Max Verstappen não ficou de todo frustrado com a classificação que teve para o GP do Brasil. Neste sábado (10), o holandês, que se classificou em quinto, reconheceu que as chances de ultrapassar as equipes de ponta em ritmo é difícil, mas na estratégia pode ter uma chance.
 
Na tomada de tempos em Interlagos, a chuva ameaçou cair com força, especialmente no Q3. Entretanto, a água não deu as caras, mas isso não incomodou o titular da Red Bull. “Não foi nada frustrante [não chover]. Nós apenas fizemos o melhor com a situação.” Perguntado se achava que teria chance caso chovesse, ele respondeu que “não na classificação”.
 
O piloto ainda se mostrou satisfeito com o desempenho apresentado na classificação “Nós fizemos o melhor possível, que foi quinto, então acredito que podemos ficar felizes com isso. As condições estavam um pouco difíceis, mas todos lidaram muito bem na garagem e conseguimos ter um bom desempenho”, disse.
Max Verstappen (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
“Tentamos dar uma volta rápida no Q2 com pneu macio, mas acabamos perdendo. Não é um desastre largar com pneus supermacios, então não estamos muito preocupados. O equilíbrio do carro não é ideal, estamos sem aderência na parte da frente”.
 
Por fim, Verstappen reconheceu que não vai ser tarefa fácil bater Mercedes e Ferrari, apostando na estratégia para conseguir ganhar posições. “Não [consigo ultrapassar] na pista, mas talvez na estratégia”, frisou.
 
“Nessa pista, ainda, é difícil a ultrapassagem e se você não tem a velocidade, não consegue alcançá-los. O carro está bom. Nós tentaremos fazer o melhor possível para tentar nos aproximar deles”, completou.
 
11º o grid por conta de uma punição de por troca de câmbio, Daniel Ricciardo fez uma avaliação até que positiva do sábado em Interlagos, mas saiu torcendo para ganhar posições com punições da concorrência.
Daniel Ricciardo (Foto: Rodrigo Berton/Grande Prêmio)
“Acho que, no fim, não foi ruim”, resumiu. “Acho que a única coisa foi que, quando vimos a chuva chegando no Q2, nós fizemos uma volta rápida com os pneus supermacios e aí tentamos superá-la nos macios, mas ficamos um décimo fora, não foi suficiente. Acho que, em um mundo ideal, nós começaríamos a corrida com os macios. Então essa foi meio que a única dificuldade durante a sessão. O resto foi relativamente bem”, ponderou.
 
“É, alguns décimos seriam bons para conseguir mais uma posição, mas acho que amanhã, é, vou começar em 11º, então vamos ver que acontece, se tem alguma punição na minha frente para fazer a minha vida um pouco mais fácil”, concluiu.
 
Acompanhe todo o conteúdo em vídeo do GP do Brasil no nosso canal no YouTube Resultado de imagem para logo png youtube

GRANDE PRÊMIO cobre ‘in loco’ o GP do Brasil de F1 com os repórteres Evelyn Guimarães, Felipe Noronha, Fernando Silva, Gabriel Curty, Juliana Tesser, Nathalia De Vivo e Pedro Henrique Marum, e o fotógrafo Rodrigo Berton. Acompanhe tudo aqui.