Vettel admite que desgaste dos pneus na Austrália foi excessivo: “Não esperávamos que fosse tão ruim”

Depois de dominar os treinos em Melbourne, o piloto alemão afirmou que não imaginava que a corrida já estava ganha, mas reconheceu que o resultado foi pior do que o esperado pela Red Bull

Sebastian Vettel admitiu que os problemas no desgaste dos pneus Pirelli durante o GP da Austrália pegaram a Red Bull de surpresa. O alemão afirmou, nesta quinta-feira (21), que não achava que a corrida em Melbourne já estava ganha, mas disse que estava otimista em conquistar um bom resultado depois de ter dominado todos os treinos.

“Você nunca começa uma corrida pensando que ela já está praticamente ganha. Não é assim tão fácil”, disse. “Pensávamos que tínhamos chances de ganhar, os problemas que tivemos na corrida, sofrendo com os pneus, não esperávamos que fossem tão ruins, para ser honesto. Acho que aprendemos muita coisa e já podemos melhorar aqui”, declarou.

Sebastian Vettel reconheceu que o desgaste dos pneus foi ruim em Melbourne (Foto: Red Bull/ Paul Gilham/ Getty Images)

 

As informações do GP da Malásia em tempo real
Especial F1 2013, a temporada imprevisível
A volta virtual em Sepang, narrada por Massa
As imagens desta quinta-feira na Malásia

Para o GP da Malásia, o tricampeão disse que a Red Bull conseguiu encontrar algumas soluções, mas não houve tempo para analisar tudo. “Geralmente, agora não há mais a possibilidade de mudar o acerto para o domingo, então estamos avaliando. Nós aprendemos muitas coisas, mas outras ainda não entendemos, mas só se passaram alguns dias”, acrescentou.

Vettel disse, ainda, que quando há um problema desses o piloto é incapaz de criar uma solução de dentro do carro. “Obviamente podemos checar os pneus visualmente e a partir daí tentamos reagir. Há várias estratégias, como dosar o ritmo e manter a aderência que já temos, mas o tempo todo você obviamente tenta ir o mais rápido possível”, explicou.

Apesar disso, o germânico garantiu ter feito todo o possível para garantir o melhor resultado no GP da Austrália. “Você tenta dosar um pouco mais o pneu, o que às vezes funciona e às vezes não. Não é sempre que está no controle do piloto. Algumas vezes, não há muito que fazer de dentro do carro para controlar a degradação. Claro que você pode tentar cometer menos erros, porque uma má aderência o força a cometer erros, então é preciso se adaptar”, completou.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube