Vettel admite que teve começo de corrida “muito fraco” em Baku e se contenta com terceiro lugar “crucial”

Sebastian Vettel largou em terceiro e assim terminou. O alemão até acha que tinha ritmo para colocar pressão na Mercedes, mas viu a corrida começar a tomar um rumo errado já nas primeiras voltas, após voltas ruins com pneus macios

Sebastian Vettel não teve um GP do Azerbaijão de Fórmula 1 dos mais produtivos. O alemão largou em terceiro neste domingo (28) e, apesar da expectativa de briga com a Mercedes, cruzou a linha de chegada na mesma posição. De acordo com Vettel, as coisas começaram a fugir do controle ainda nas primeiras voltas, quando o rendimento com pneus macios se mostrou abaixo das expectativas.
 
“Nosso primeiro stint foi muito fraco”, disse Vettel. “Sofri muito até fazer os pneus funcionarem. Acho que eles estavam frios demais e eu acabei os danificando. Quando eles estavam aquecidos, estavam danificados. Eu estava muito desconfortável, inconsistente e não consegui encontrar confiança no carro. Depois disso, já estava de olho nos pneus médios. Não tive problema alguma para fazer o set funcionar”, comentou.
Sebastian Vettel não alcançou a dupla da Mercedes em Baku (Foto: Ferrari)

Com pneus médios, Vettel começou a se aproximar gradativamente da dupla da Mercedes, apesar de se mostrar incapaz de lutar por posição com Valtteri Bottas e Lewis Hamilton.

 
“Acho que tínhamos algum ritmo para ao menos desafiar a Mercedes, algumas vezes colocar pressão. Foi crucial manter o terceiro lugar e crucial para o Charles conseguir a volta mais rápida e tirar isso dos caras da Mercedes. Ainda temos muito trabalho pela frente, mas precisamos maximizar o que temos”, encerrou.
 
Com o pódio, Vettel chegou aos 52 pontos e tomou o terceiro lugar no Mundial de Pilotos. O déficit para Bottas, vencedor em Baku e líder, é de 35.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube

Saiba como ajudar