Vettel admite ritmo bom de Ricciardo e lamenta desgaste no fim do GP de Mônaco: “Não tinha confiança nos pneus”

Sebastian Vettel encerrou o GP de Mônaco na mesma posição em que largou: segundo lugar. O piloto afirmou que gostaria de ter pressionado, mas que seus pneus já não podiam acompanhar Daniel Ricciardo durante a corrida

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Sebastian Vettel ameaçou, mas não conseguiu tomar a dianteira de Daniel Ricciardo no GP de Mônaco deste domingo (27) – o australiano abriu logo na primeira volta distância suficiente para segurar a vitória e, se não de maneira confortável, pelos problemas em seu carro, de forma razoável para que, no braço, se mantivesse na liderança até o fim.

Mesmo se aproximando do RB14 do australiano depois de um problema de potência no motor Renault, o piloto da Ferrari se manteve apenas na posição em que largou, subindo no segundo degrau mais alto do pódio.

 
Em entrevista após a corrida, Vettel afirmou que Ricciardo soube como conduzir seu ritmo e que foi muito difícil acompanhar o piloto taurino.
 
“Acho que tivemos o ritmo, mas foi uma corrida complicada. Daniel teve a resposta em todos os momentos. No primeiro stint eu poderia segui-lo com bastante facilidade e, em seguida, ele começou a apertar [o ritmo] quando Lewis parou nos boxes. Ele foi mais forte lá e eu não podia seguir. Mesmo com meus pneus me permitindo ir bem rápido", afirmou.
Sebastian Vettel diminuiu a distância para Lewis Hamilton no Mundial de Pilotos (Foto: Xavi Bonilla/Grande Prêmio)
O #5 largou com pneus hipermacios, fazendo sua parada na volta 16 para substituí-los pelos pneus ultramacios, com os quais seguiu até a bandeira quadriculada. 
 
Mesmo enfrentando problemas, Ricciardo manteve o alemão atrás, chegando a ter menos de 1s de vantagem em algumas voltas da corrida. Com a Red Bull favorita desde o início do fim de semana, Vettel sabia que não seria tarefa fácil, e admitiu o bom desempenho de seu ex-companheiro de time. O piloto falou, ainda, que o desgaste de pneus foi fundamental para não ter pressionado pela vitória nas ruas de Monte Carlo.
 
“Ele [Ricciardo] teve um problema, mas no final voltou a subir. E depois, na relargada, eu não tinha confiança nos pneus, por isso perdi bastante. Teria sido bom manter a pressão até ao fim”, desabafou.
 
TEM LENHA PRA QUEIMAR

CASTRONEVES SENTE FALTA DA INDY E MERECE ESTAR NO GRID

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height:
0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute;
top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube