Vettel aproveita pista mais seca e lidera 1-2 da Ferrari no terceiro treino em Melbourne. Surpresa, Ericsson é terceiro

O treino derradeiro antes da classificação em Melbourne começou com a pista bem encharcada e terminou com o asfalto seco. Assim, os melhores tempos foram registrados nos minutos finais. Sebastian Vettel foi o mais rápido, com Kimi Räikkönen logo atrás. A surpresa foi a Sauber de Marcus Ericsson, terceiro

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

O terceiro e último treino livre antes da definição do grid de largada do GP da Austrália até que foi bastante movimentado. No fim das contas, levou a melhor a Ferrari de Sebastian Vettel, que aproveitou a pista mais seca no fim para liderar a sessão neste sábado (24). Kimi Räikkönen completou a dobradinha da equipe italiana, enquanto a surpresa atendeu pelo nome de Marcus Ericsson, com a Sauber, na terceira posição.

A sessão começou com a pista molhada em razão das chuvas que atingiram Melbourne desde o começo da manhã. Mercedes e McLaren foram as protagonistas durante o tempo em que os pilotos usaram, em sua maioria, pneus intermediários. Mas com a passagem dos carros, foi natural que o asfalto secasse e, consequentemente, as marcas baixassem consideravelmente. Carlos Sainz chegou a liderar nos minutos finais, mas em seguida Vettel colocou a Ferrari na frente, com Räikkönen completando o 1-2 já com o cronômetro zerado.

Com pneus slicks, Marcus Ericsson causou a grande surpresa do treino, seguido pela Red Bull de Max Verstappen, que chegou a assumir a liderança com os pneus intermediários antes da volta voadora de Vettel. Sainz finalizou em quinto, à frente de Daniel Ricciardo. Só então apareceram os pilotos da Mercedes. Valtteri Bottas e Lewis Hamilton, que lideraram enquanto a pista estava mais úmida, fecharam em sétimo e oitavo, respectivamente. Stoffel Vandoorne e Fernando Alonso fecharam o top-10.

Sebastian Vettel foi o mais rápido do terceiro treino livre em Melbourne (Foto: AFP)

Saiba como foi o terceiro treino livre do GP da Austrália de F1

Como era esperado, o terceiro treino livre em Melbourne começou com a pista bem molhada e até com poças d'água em determinados pontos do circuito de Albert Park. Como a classificação também tende a ser com pista molhada, não demorou muito para que os pilotos deixassem os boxes usando os pneus de chuva extrema. A ideia era testar o acerto a ser colocado em prática logo mais. Durante sua volta de instalação, Stoffel Vandoorne reportou o asfalto bastante 'engordurado', bem escorregadio.

Ainda assim, não demorou muito para que oss pilotos deixassem os boxes usando pneus intermediários. O primeiro a fazê-lo foi Fernando Alonso. E Brendon Hartley já indicava uma evolução da pista com a "aderência melhor que o esperado". Só que levou um bom tempo para que surgissem as primeiras voltas cronometradas. Ao mesmo tempo, a Williams trabalhava para resolver um problema de câmbio no carro de Lance Stroll.

Max Verstappen tomou a ponta no início do treino livre deste sábado (Foto: Reprodução)

Hülkenberg cravou 1min40s863 quando tinham sido percorridos 18 minutos de sessão. Foi a primeira marca destesábado chuvoso em Melbourne. O alemão puxou a fila, e em seguida Vandoorne abria seu primeiro stint de voltas rápidas. Mas quem assumiu a liderança nos minutos iniciais com o treino pra valer foi Max Verstappen, que marcou 1min35s548. E Daniel Ricciardo apontava logo atrás, em segundo.

Enquanto Lewis Hamilton reportava problemas no seu carro e voltava para os boxes da Mercedes, Sebastian Vettel subia para segundo, só atrás de Verstappen, e Fernando Alonso era outro a se destacar, em quarto, à frente de Carlos Sainz e de um até então apagado Valtteri Bottas.

Já sem chuva, a pista secava com rapidez, e quase todos os pilotos usavam pneus intermediários, com exceção da Williams, que mandava Stroll e Sergey Sirotkin com os compostos de chuva forte. Ainda sem a oposição de Hamilton, a Red Bull formava dobradinha com Verstappen e Ricciardo, enquanto Vettel e Räikkönen vinham logo atrás e Pierre Gasly se colocava à frente de Alonso. Depois que a Mercedes providenciou a troca do volante do carro #44, Lewis finalmente foi à pista com os intermediários.

Fernando Alonso andou bem no molhado em Melbourne (Foto: F1/Twitter)

Com a pista cada vez mais rápida, Ricciardo finalmente passava Verstappen com 1min35s265, mas logo o australiano era superado por Alonso, que andava bem demais no molhado e tinha 1min34s298, com a melhor parcial nos três setores. Só que a liderança do bicampeão durou pouco. A Mercedes alcançou o topo com seus dois pilotos: Bottas na frente, com 1min34s174, e Hamilton logo atrás. 

Em contrapartida, a Force India optava por não mandar seus pilotos para a pista. A Toro Rosso, ao contrário, andava e andava bem com seus dois pilotos, com Gasly ocupando o quinto lugar e Brendon Hartley logo atrás quando restavam 20 minutos para o fim da sessão final antes da classificação.

Nos minutos finais, com quase todos os pilotos nos boxes, a Williams acelerava com Stroll e Sirotkin, desta vez com os pneus intermediários. Mas os tempos dos jovens não foram necessariamente expressivos. Assim, apenas a dupla da Force India não tinha tempos registrados. 

google_ad_client = “ca-pub-6830925722933424”;
google_ad_slot = “5708856992”;
google_ad_width = 336;
google_ad_height = 280;

Quem também deixou para ir à pista no fim, com a pista já bem menos úmida, foi Vandoorne, com uma McLaren que se mostrou bem competitiva no começo deste sábado. O belga encaixou bela volta e se colocou em terceiro, logo à frente de Alonso, ao marcar 1min34s233. Foi a senha para o bicampeão retornar à pista quando restavam dez minutos para o encerramento do treino. Fernando deu pinta até de melhorar sua volta, mas recolheu de volta para os boxes.

Nos minutos finais, Sainz e Verstappen chegaram a tomar a ponta usando ainda pneus intermediários. Mas foi Vettel, um dos primeiros a sair à pista neste treino com os pneus slicks (ultramacios), quem marcou o melhor tempo da sessão: 1min26s067. Räikkönen também aproveitou o melhor rendimento dos pneus diante das condições da pista e fechou o 1-2 da Ferrari. Também com o cronômetro zerado, Marcus Ericsson proporcionou a grande zebra da sessão.

F1 2018, GP da Austrália, Albert Park, treino livre 3: 

1   5 Sebastian VETTEL ALE Ferrari 1:26.067   15
2   7 Kimi RÄIKKÖNEN FIN Ferrari 1:28.499 +2.432 13
3   9 Marcus ERICSSON SUE Sauber Ferrari 1:28.890 +2.823 14
4   33 Max VERSTAPPEN HOL Red Bull Tag Heuer 1:31.680 +5.613 8
5   55 Carlos SAINZ JR ESP Renault 1:33.172 +7.105 11
6   3 Daniel RICCIARDO AUS Red Bull Tag Heuer 1:34.043 +7.976 14
7   77 Valtteri BOTTAS FIN Mercedes 1:34.174 +8.107 14
8   44 Lewis HAMILTON ING Mercedes 1:34.225 +8.158 7
9   2 Stoffel VANDOORNE BEL McLaren Renault 1:34.233 +8.166 15
10   14 Fernando ALONSO ESP McLaren Renault 1:34.298 +8.231 13
11   10 Pierre GASLY FRA Toro Rosso Honda 1:34.990 +8.923 16
12   28 Brendon HARTLEY NZL Toro Rosso Honda 1:35.438 +9.371 16
13   35 Sergey SIROTKIN RUS Williams Mercedes 1:35.589 +9.522 16
14   18 Lance STROLL CAN Williams Mercedes 1:35.828 +9.761 8
15   8 Romain GROSJEAN FRA Haas Ferrari 1:36.171 +10.104 6
16   16 Charles LECLERC MCO Sauber Ferrari 1:36.448 +10.381 12
17   20 Kevin MAGNUSSEN DIN Haas Ferrari 1:36.807 +10.740 7
18   27 Nico HÜLKENBERG ALE Renault 1:38.482 +12.415 8
19   11 Sergio PÉREZ MEX Force India Mercedes     1
20   31 Esteban OCON FRA Force India Mercedes     1
          Tempo 107% 1:32.092 +6.025  
                 
Recorde Lewis HAMILTON ING Mercedes 1:22.188 25/03/2017  
Melhor volta Michael SCHUMACHER ALE Ferrari 1:24.125 07/03/2004  

#GALERIA(8335)

"RECOMEÇA A BRIGA"

MERCEDES COMEÇA TEMPORADA AINDA À FRENTE DA FERRARI

.embed-container { position: relative; padding-bottom: 56.25%; height: 0; overflow: hidden; max-width: 100%; } .embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed { position: absolute; top: 0; left: 0; width: 100%; height: 100%; }

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube