F1
27/02/2018 14:00

Vettel coloca Ferrari na frente em segundo dia de testes marcado por neve em Barcelona. Kubica bate Sirotkin

O segundo dia da pré-temporada da F1 em Barcelona teve suas duas horas finais muito comprometidas pela neve. Num frio intenso, Sebastian Vettel colocou a Ferrari na dianteira, batendo por 0s3 Valtteri Bottas, que andou com pneus mais duros que o rival. Na briga interna da Williams, Robert Kubica superou Sergey Sirotkin
Warm Up, do Circuito da Catalunha / FERNANDO SILVA, de Sumaré / GABRIEL CURTY, de São Paulo
 Sebastian Vettel (Foto: AFP)

Sebastian Vettel venceu o frio intenso e colocou a Ferrari na ponta no segundo dia de testes coletivos da pré-temporada da F1 em Barcelona. Nesta terça-feira (27), o traçado espanhol teve temperaturas extremamente baixas a sessão inteira, com a neve aparecendo nas últimas horas e impedindo que os tempos melhorassem. No fim, de pneus macios, Vettel ficou na frente com 1min19s673, o melhor tempo do ano, até aqui.

A segunda colocação foi de Valtteri Bottas, que foi o outro piloto a conseguir rodar abaixo da casa de 1min20s. O finlandês da Mercedes, que usou pneus médios em seu melhor giro, completou 94 voltas, menos apenas que o líder Vettel, que deu 98.

A McLaren teve um dia de altos e baixos. Após uma primeira parte consistente com 37 voltas completadas e o terceiro melhor tempo cravado por Stoffel Vandoorne, o time sofreu com um problema no escapamento e simplesmente sumiu da pista.

Max Verstappen foi mais um que não passou dos pneus médios e, mesmo assim, teve desempenho decente. O holandês foi apenas 0s001 mais lento que Vandoorne, mesmo sofrendo com alguns problemas que o tiraram da pista durante a sessão.

De Max para trás, todo mundo fez a melhor marca de pneus macios. Carlos Sainz foi o quinto, enquanto Pierre Gasly foi o sexto com uma consistente Toro Rosso Honda, que deu 80 voltas.

A briga interna na Williams foi interessante. Fazendo a segunda parte do dia, Robert Kubica superou o titular Sergey Sirotkin, que fez a primeira parte. O polonês deu oito voltas a menos que o russo: 44 contra 52. Esteban Ocon, Charles Leclerc e Kevin Magnussen completaram o grupo dos pilotos que participaram do segundo dia.
Sebastian Vettel liderou o segundo dia (Foto: AFP)
Saiba como foi o segundo dia de testes da F1 em Barcelona
 
Foi com muito, muito frio, que a F1 retomou os trabalhos de pré-temporada na manhã desta terça-feira em Barcelona. Com a temperatura ambiente em – 0,6ºC (algo bem incomum para a Catalunha, mesmo no inverno) e somente 2ºC na pista, as equipes buscavam se aquecer antes de acelerar no traçado localizado na cidade de Montmeló.
 
O primeiro ‘corajoso’ a deixar os boxes nesta manhã foi Kevin Magnussen, que abriu os trabalhos para a Haas nesta terça-feira. O dinamarquês puxou a fila dos pilotos que ganharam a pista para a realização das primeiras voltas de instalação e checagem dos carros e também das condições (geladas) do asfalto. 
 
Além de K-Mag, Barcelona teve as presenças de Sebastian Vettel, Valtteri Bottas, Max Verstappen, Esteban Ocon, Sergey Sirotkin, Carlos Sainz, Pierre Gasly, Stoffel Vandoorne e Charles Leclerc na pista pela manhã.
A gelada manhã em Barcelona foi dedicada a uma série de testes aerodinâmicos (Foto: Twitter/SkySports)
Por conta de toda a umidade do ambiente — e também da pista —, as equipes optaram por liberar os carros com pneus intermediários. Dos dez determinados para acelerar pela manhã, o último a sair para completar voltas de instalação foi Esteban Ocon, da Force India. Verstappen e Vandoorne fizeram as primeiras voltas para avaliações aerodinâmicas e guiaram seus carros cheios de sensores acoplados.
 
O primeiro piloto a marcar tempo foi Sainz Jr., que cravou 1min34s177 com pneus intermediários. Bem depois, Bottas também movimentou a tabela de tempos, mas seu 1min50s760 nem serviu de parâmetro. A Mercedes promoveu uma série de testes aerodinâmicos, por isso as velocidades neste caso são bem limitadas.
 
Aos poucos, bem aos poucos, a temperatura dava alguns sinais de melhora, para ser bem otimista. 1,7ºC após quase duas horas de sessão e 12,8ºC no asfalto. Ainda assim, o cronograma das equipes estava muito prejudicado, o que levou a F1 a decidir não parar o treino para o almoço a partir das 9h (horário de Brasília), indo direto, sem interrupções até 18h locais (14h pelo horário brasileiro). Tudo para garantir um pouco mais de tempo de pista aos pilotos e equipes.

Mas por um bom tempo, quase não teve atividade de pista justamente em razão do frio. Vandoorne meio que quebrou o gelo ao acelerar com os novos pneus hipermacios para colocar a McLaren na ponta com 1min20s325.  Foi então que o treino começou a animar um pouco com a ida da maioria dos pilotos à pista. Quem mais demorou para completar sua volta rápida foi Verstappen. A Red Bull comunicou um pequeno vazamento de combustível do novo RB14.
Com pneus hipermacios, Stoffel Vandoorne chegou a liderar parte da sessão (Foto: McLaren)
Contudo, a dianteira do belga não resistiu por muito tempo. Com desempenho consistente e sólido stint com os pneus macios, Bottas tomou a liderança com 1min20s270 perto do meio-dia, horário local. Pouco depois, Charles Leclerc, causou a primeira bandeira vermelha do dia ao ficar parado na curva 4.

Depois de trabalhar durante todo oo primeiro período com os pneus médios, Vettel completou um bom stint para subir a terceiro com 1min21s010. Sem parar para almoçar, o alemão começou outra série de voltas rápidas, com um novo jogo de médios na sua SF71H e não teve dificuldades para superar Bottas e Vandoorne e aferir o melhor tempo do dia: 1min20s168.

Foi o próprio Vettel, após assumir a liderança, quem causou a segunda bandeira vermelha do dia ao escapar de leve na curva 2 do traçado catalão. Sem maiores consequências, no entanto. Foi a senha para o tetracampeão voltar aos boxes e, depois de alguns minutos, trabalhar com os pneus macios. Verstappen também tratou de buscar tempos de volta depois de perder praticamente toda a manhã nos boxes da Red Bull. Max evoluiu sua marca, ainda com os médios, para alcançar a quarta posição com 1min21s014. 

No seu stint com os macios, Vettel logo conseguiu imprimir um ritmo forte e não teve dificuldades para cravar o novo melhor tempo da tabela com 1min20s115. No quesito confiabilidade, destaque para a Mercedes e também a Toro Rosso, sendo as primeiras a quebrar a barreira das 60 voltas completadas.
Robert Kubica acelerou pela primeira vez em um teste de pré-temporada desde fevereiro de 2011 (Foto: F1/Twitter)
Com três horas para o fim da sessão, chegava um dos momentos mais aguardados da sessão. Após 52 voltas completadas, Sergey Sirotkin cedeu o volante do FW41 a Robert Kubica, que deu sequência aos trabalhos da Williams. O frio já não era intenso (18ºC na pista, embora de apenas 5ºC de temperatura ambiente), o que indicava condições mais favoráveis ao trabalho do polonês. Depois de fazer suas voltas de instalação, o piloto de 33 anos levou o carro com o numeral #40 ao primeiro stint 'pra valer' e logo desbancou Magnussen e Leclerc — os dois últimos da tabela — para se colocar em oitavo com 1min22s142 com pneus macios.

Depois da sequência de Kubica foi a vez de Leclerc ir baixando sua marca sequencialmente. Também de pneus macios, o monegasco chegou ao tempo de 1min22s721, superando no detalhe Magnussen e, assim, deixando a lanterna pro dinamarquês da Haas.

Vettel surgiu para um novo stint com bastante fome. O alemão estava extremamente rápido e foi baixando suas marcas até chegar a 1min19s673, ainda de pneus macios, abrindo quase 0s6 para Bottas que, minutos mais tarde, reduziria isso para 0s3.
Mercedes e Ferrari de novo lado a lado. A F1 voltou (Foto: Mercedes)

Aí veio mais movimentação no pelotão. Kubica voltou para a pista e impressionou. O polonês deixou muito para trás a marca estabelecida pelo titular Sirotkin, virando 1min21s495, mais de 0s3 abaixo da melhor volta do russo. Enquanto isso, ainda de pneus médios, Verstappen foi andando bem rápido até ficar exatamente 0s001 atrás de Vandoorne, ainda em quarto. O belga, por sua vez, almoçava por quase três horas. Brincadeiras à parte, apesar da McLaren não dar sinais de vida, era um problema no escapamento do carro.

Aí, já perto da sessão entrar em sua última hora, começou a nevar no autódromo de Barcelona. Se a pista já tinha começado a ficar vazia antes, quando caíram os primeiros flocos já não havia mais ninguém nela. Sainz foi o último a resistir, mas durou pouco ali.

A neve deu uma parada e Gasly e Ocon rapidinho voltaram para a pista, tentando aproveitar cada minuto do dia. No entanto, os franceses viram que o traçado não estava em condições legais e retornaram aos boxes.

Os minutos foram passando, o fim do dia se aproximando e os pilotos voltando para a pista. Mas era apenas um acúmulo de quilometragem, já que ninguém conseguia passar nem perto das marcas anteriores.

F1, Barcelona, pré-temporada, dia 2:

1   5 Sebastian VETTEL ALE Ferrari 1:19.673   98
2   77 Valtteri BOTTAS FIN Mercedes 1:19.976 +0.303 94
3   2 Stoffel VANDOORNE BEL McLaren Renault 1:20.325 +0.652 37
4   33 Max VERSTAPPEN HOL Red Bull Tag Heuer 1:20.326 +0.653 67
5   55 Carlos SAINZ JR ESP Renault 1:21.212 +1.539 65
6   10 Pierre GASLY FRA Toro Rosso Honda 1:21.318 +1.645 82
7   46 Robert KUBICA POL Williams Mercedes 1:21.495 +1.822 48
8   35 Sergei SIROTKIN RUS Williams Mercedes 1:21.822 +2.149 52
9   31 Esteban OCON FRA Force India Mercedes 1:21.841 +2.168 79
10   16 Charles LECLERC MON Sauber Ferrari 1:22.721 +3.048 81
11   20 Kevin MAGNUSSEN DIN Haas Ferrari 1:22.727 +3.054 36
12   27 Nico HÜLKENBERG ALE Renault