F1
13/07/2017 13:24

Vettel é escolhido para conduzir primeiro teste de pista e guia Ferrari com Shield no TL1 do GP da Inglaterra

A FIA vai testar o Shield – novo elemento que tem como objetivo ampliar a segurança do piloto dentro do cockpit – nesta sexta-feira (14) em Silverstone. E Sebastian Vettel e a Ferrari foram os escolhidos para o primeiro contato com o recurso
Warm Up / Redação GP, de Curitiba
 A Ferrari vai ser a primeira equipe a testar o novo Shield neste fim de semana (Foto: Autosport/Twitter)

Sebastian Vettel vai ser o primeiro piloto do grid da F1 a testar o Shield, a nova solução da FIA (Federação Internacional de Automobilismo) para ampliar a proteção do cockpit dos carros. O tetracampeão vai começar a avaliação da peça nesta sexta-feira (14), durante os minutos iniciais da primeira sessão de treinos livres do GP da Inglaterra, em Silverstone.
 
"Vou testá-lo amanhã e veremos por quanto tempo", disse o líder do campeonato aos jornalistas nesta quinta-feira. "Eu vi no computador, mas não a peça real. Na verdade, vou ver só mais tarde. Então, teremos de esperar pelo treino de amanhã", completou.
Sebastian Vettel vai ser o primeiro a testar Shield na F1 (Foto: Ferrari)

A FIA vem trabalhando em uma série de alternativas para proteger a cabeça do piloto dentro do habitáculo em forma de evitar acidentes como os que aconteceram com Felipe Massa, em 2009, Jules Bianchi, em 2015, e Justin Wilson, na Indy. A ideia é que o Shield possa substituir o Halo, elemento que tinha a preferência até então da entidade.
 
Na verdade, o progresso do Shield avançou mais rapidamente do que o imaginado inicialmente, abrindo caminho para um teste neste mês de julho. A proteção vem sendo desenvolvida pela empresa italiana Isoclima, que também trabalha com outros campeonatos. A FIA espera lançar mão do elemento já a partir de 2018. 

Só que alguns chefes da F1 já se preocupam com os prazos para a introdução do elemento. Christian Horner, chefe de equipe da Red Bull, contesta os prazos dados pela FIA e entende que é preciso uma quantidade maior de testes com o Shield e introduzir nos carros só em 2019, tendo assim mais tempo para desenvolver a peça com base no feedback dos pilotos. “Há todo o tipo de questão a respeito. Não tenho certeza de que o Shield tenha passado pela mesma quantidade de testes que o Aeroscreen e o Halo, e o efeito catastrófico [no caso de grandes peças acertando o dispositivo] tem de ser levado em consideração”, alertou o dirigente em entrevista publicada pela revista ‘Autosport’. 

A Ferrari já instalou o Shield em seu carro durante a tarde desta quinta-feira. 
A Ferrari instalou o Shield nesta quinta-feira no carro de Sebastian Vettel (Foto: Reprodução/Twitter)
A Ferrari instalou o Shield nesta quinta-feira no carro de Sebastian Vettel (Foto: Reprodução/Twitter)
MORBIDELLI VÊ ROSSI COMO INSPIRAÇÃO E DIZ QUE CONSELHO O TORNOU MAIS AGRESSIVO NAS CORRIDAS