Vettel e Horner destacam “grande desafio” no desenvolvimento simultâneo do RB9 e carro de 2014

Christian Horner disse que a Red Bull está sobrecarregada por ter de trabalhar ao mesmo tempo nos carros de 2013 e 2014, mas indicou que a situação está sob controle. Sebastian Vettel, por sua vez, espera que o modelo do próximo ano tenha menos botões no volante

Líder com folga tanto no Mundial de Pilotos quanto no de Construtores em 2013, a Red Bull luta pelo tetracampeonato da F1, mas também trabalha intensamente para dar sequência à uma jornada cada vez mais vitoriosa na categoria em 2014. Para isso, desenvolve simultaneamente o RB9 e também o carro que será utilizado na próxima temporada, quando a F1 viverá uma revolução técnica e adotará os motores V6 turbo de 1,6 L no lugar dos V8 aspirados de 2,4 L. 

Christian Horner e Sebastian Vettel deram uma entrevista à revista norte-americana ‘Car and Driver’ e falaram sobre o “grande desafio” de desenvolver dois carros de uma só vez. O chefe da Red Bull revelou que a equipe está sobrecarregada por ter de trabalhar em várias frentes ao mesmo tempo, mas disse que, por enquanto, a situação está sob controle.
Horner e Vettel destacaram o desafio da Red Bull nos trabalhos nos carros de 2013 e 2014 (Foto: Red Bull/ Mark Thompson/ Getty Images)

“O desafio que temos neste ano é combinar a luta pelo título desta temporada com as grandes mudanças que o regulamento introduzirá em 2014. Temos muitas frentes abertas ao mesmo tempo. Obviamente, estamos dando tudo para seguir evoluindo este carro até o fim do ano”, comentou o dirigente britânico.

“Estamos controlando a situação. Está sendo complexo integrar o novo motor ao chassi do ano que vem e seguir o estrito regulamento. Estamos sobrecarregados neste momento, mas está sob controle”, complementou. Em 2014, a Red Bull segue como parceira da Renault, que também fornecerá motores para a coirmã Toro Rosso.

Vettel, por sua vez, disse que já teve a chance de ver o desenvolvimento do novo motor Renault na fábrica e acredita que as mudanças que a F1 vivenciará em 2014 serão radicais. O alemão espera que os carros a partir do ano que vem sejam mais simples, sobretudo seus volantes, com menos funções em relação aos atuais.

“Estamos trabalhando muito duro no carro de 2014, mas ainda temos muito trabalho pela frente. Muitas coisas vão mudar. Acredito que teremos menos botões para apertar, mas mais coisas a mudar”, comentou o tricampeão do mundo, vencedor do último GP do Canadá e líder da temporada 2013. 

“Depois do que vi quando visitei a fábrica da Renault na França, em termos do novo motor, é incrível a quantidade de tecnologia e desenvolvimento que tem sido feita, também a respeito do que acontece no carro. Parece bom, mas é uma mudança radical”, concluiu.

GOSTA DO CONTEÚDO DO GRANDE PRÊMIO?

Você que acompanha nosso trabalho sabe que temos uma equipe grande que produz conteúdo diário e pensa em inovações constantemente. Mesmo durante os tempos de pandemia, nossa preocupação era levar a você atrações novas. Foi assim que criamos uma série de programas em vídeo, ao vivo e inéditos, para se juntar a notícias em primeira-mão, reportagens especiais, seções exclusivas, análises e comentários de especialistas.

Nosso jornalismo sempre foi independente. E precisamos do seu apoio para seguirmos em frente e oferecer o que temos de melhor: nossa credibilidade e qualidade. Seja qual o valor, tenha certeza: é muito importante. Nós retribuímos com benefícios e experiências exclusivas.

Assim, faça parte do GP: você pode apoiar sendo assinante ou tornar-se membro da GPTV, nosso canal no YouTube