F1

Vettel fica tonto após testar Shield em Silverstone e aponta problemas: “A visão fica distorcida”

Sebastian Vettel só deu uma volta com o Shield em Silverstone. Foi suficiente para ficar tonto, consequência de problemas com a visão frontal. O alemão terminou os treinos livres atrás da dupla da Mercedes, que liderou com facilidade
Warm Up / VITOR FAZIO, de Porto Alegre
 Sebastian Vettel (Foto: Ferrari)

O primeiro teste do Shield em um carro de F1 não saiu de acordo com o planejado. Sebastian Vettel, escolhido para inaugurar o dispositivo no primeiro treino livre desta sexta-feira (14), relatou tontura após uma única volta em Silverstone.
 
“Eu testei e fiquei meio tonto”, disse Vettel. “A visão frontal não é muito boa. Isso provavelmente tem a ver com a curvatura [do Shield], a visão fica distorcida e o fluxo do ar puxa o capacete para frente nas retas. A gente planejava andar mais com isso, mas eu não gostei e optamos por tirar”, apontou.
 
Apesar dos problemas, o Shield é tido como a melhor solução para proteger o cockpit. O Halo, seu antecessor, foi testado ao longo de 2016 e foi criticado pela pouca proteção e pelo visual questionável.
Sebastian Vettel testou o Shield. E não gostou (Foto: Ferrari)

Além do Shield, o dia serviu para que Vettel testasse uma atualização do motor Ferrari. Os tempos de volta do piloto alemão não empolgaram, e a Ferrari voltou a ser superada pela Mercedes, que liderou os dois treinos com certa facilidade.
 
"Deve ajudar [a atualização do motor]. Esse sempre foi o plano, então estamos na meta. Hoje foi um dia de sensações mistas e altos e baixos, mas é divertido guiar aqui em Silverstone”, encerrou Vettel.

Por outro lado, Kimi Räikkönen, melhor que Vettel nos dois treinos livres do dia, reconheceu que a Mercedes está um passo à frente da Ferrari. Por enquanto. "Eles estão um pouco à nossa frente. Mas amanhã vamos tentar fazer melhor. E vamos ver o que nós vamos podemos fazer”, comentou o 'Homem de Gelo'.
Kimi Räikkönen admite que a Mercedes está à frente da Ferrari neste início de trabalho na Inglaterra (Foto: Ferrari)
O finlandês minimizou as atualizações do motor, que agora conta com 15 cv a mais. “É só um novo motor, mas um novo motor é melhor que um motor usado. Não há muitas coisas importantes, mas é algo que foi planejado. Foi bem simples", relatou Kimi, que só lamentou a velocidade dos ventos, que chegou perto dos 20 km/h, o que atrapalhou no equilíbrio do carro em alguns trechos, causando até uma rodada no fim da segunda sessão do dia.

"O vento foi um pouco complicado em alguns lugares, mas é normal aqui. Foi um dia decente. Poderia ter sido um pouco melhor, mas foi simples, sem tanta diversão”, concluiu Räikkönen.
MORBIDELLI VÊ ROSSI COMO INSPIRAÇÃO E DIZ QUE CONSELHO O TORNOU MAIS AGRESSIVO NAS CORRIDAS